Busca

     

Resultado



THOMAS TROISGROS - REFLEXÕES E PRÁTICA


Thomas Troisgros é o representante da quarta geração de uma família de chefs que vem revolucionando a história da gastronomia. O bisavô Jean-Baptiste quebrou tabus nos anos 30 em seu La Maison Troisgros, em Roanne, na França, ao propor harmonizações inusitadas, como peixe com vinho tinto. O avô Pierre e o tio-avô Jean foram dois dos criadores da nouvelle cuisine, que enfatizou pratos leves, delicados e bem apresentados. Também foram eles os responsáveis por conquistar as três estrelas no Guia Michelin, o máximo possível, para o restaurante da família. A colocação é mantida até hoje, agora por seu tio Michel. O pai, Claude, aportou no Brasil no fim dos anos 70 e, desde então, vem mesclando melhor do que ninguém os ingredientes tropicais com a imbatível técnica de seu país de origem.

O restaurante carioca Olympe, que ostenta uma estrela Michelin, foi um dos primeiros a valorizar produtos brasileiros até então pouco explorados pela alta gastronomia – caso da batata baroa, do açaí, do maracujá. Desde 2013, o comando da cozinha vem sendo passado das mãos do pai para as do filho. Thomas, que também comanda os outros restaurantes da família no Rio de Janeiro, carrega o peso de uma longa tradição e busca, em suas novas criações, imprimir sua identidade.

Os alunos da CASA DO SABER RIO O GLOBO terão o prazer de ver de perto o talento de Thomas Troisgros. Serão dois encontros especiais: no primeiro, aqui na CASA, ele falará sobre sua formação, sua trajetória (e de sua família), detalhando sua compreensão da gastronomia, e sobre como vem dando continuidade ao trabalho iniciado por seu pai no Brasil de valorizar produtos da terra. No segundo, a turma será convidada especial de um almoço no restaurante Olympe, para, na prática, conferir a combinação entre tradição e novidade trazida pelas mãos desse talentoso chef.



GRANDES NOMES DA CHANSON FRANÇAISE


Entre os milhares de artistas que cantaram em francês, foram escolhidos para esse curso Charles Aznavour, Georges Brassens, Jacques Brel, Edith Piaf e, é claro, Charles Trenet, considerado por muitos o fundador da música francesa moderna. Esses grandes nomes foram selecionados entre tantos excelentes por serem não só autores mas também compositores e intérpretes. E ainda porque suas canções são chansons à texte, um gênero de canção popular cuja qualidade literária, às vezes engajada, se opõe às canções chamadas de variéte, com um conteúdo mais banal.



ARTE, DO MANEIRISMO AO BARROCO FRANCÊS


O universo da história da arte ocidental, do período do Maneirismo até o Barroco na França, será mostrado com muitas imagens nesse curso. Serão analisadas as particularidades do Barroco católico e do Barroco protestante e suas múltiplas manifestações. Na França, a corte de Luís XIV, o nascimento do luxo e o apogeu de Versalhes ganharão destaque.  



O GRANDE CINEMA EUROPEU DOS ANOS 60


A França abrigou a primeira sessão cinematográfica da história: foi no subsolo de um café em Paris que o cinema deu seus primeiros passos antes de se tornar a Sétima Arte. Ao longo das suas primeiras duas décadas, o cinema europeu dominou a cena mundial. Depois, com as duas grandes guerras que sacudiram a Europa no intervalo de 30 anos, Hollywood assumiu uma liderança comercial que não mais perderia. Mas, restabelecida a paz, os grandes diretores europeus dos anos 60 trouxeram novos temas, novas linguagens e uma lufada de liberdade e audácia que influenciaram jovens cineastas no mundo inteiro. Neste curso, visitaremos os filmes de cineastas italianos como Visconti, filho do neo-realismo. Depois, passaremos pela nouvelle vague francesa que, desafiando o formalismo hollywoodiano, revolucionou a forma de se pensar e fazer cinema. Por último, veremos como o mestre sueco Ingmar Bergman levou o cinema a profundidades psicológicas inéditas até então.



RÚSSIA X UCRÂNIA: O CONFLITO NA LITERATURA


A literatura sempre ajudou a entender o mundo e os pensadores mais importantes de outras áreas jamais deixaram de recorrer a ela. Enquanto Freud, o pai da psicanálise, fundamentou algumas de suas principais teorias em construções literárias gregas, Marx disse que aprendeu muito mais sobre a Inglaterra e a França com Dickens e Balzac do que com os economistas ingleses e franceses da mesma época. O mesmo poderia ser dito de alguns grandes historiadores e cineastas. Nesse curso, através da literatura de Gógol, Dostoiévski, Tchekhov, Tolstói e Bulgakov, o professor Marcelo Backes procurará desvendar a alma russa e ucraniana e os conflitos entre eles, trabalhando com algumas de suas mais conhecidas e importantes obras. Para fazer essa viagem, o cientista político Mauricio Santoro dará uma introdução sobre as relações entre os dois países, apresentando o conflito pelo ponto de vista histórico e político.



A HISTÓRIA DA VOGUE


Diretora de redação da Vogue Brasil, Daniela Falcão volta à Casa do Saber Rio O Globo para uma palestra sobre a história desse ícone da moda desde sua fundação como revista semanal, em 1872, por Arthur Baldwin Turnure. A palestra abordará as transformações ocorridas na Vogue após sua venda para Condé Nast, em 1905, quando a publicação se voltou para o público feminino, sem deixar o luxo para trás, e surgiram as primeiras versões europeias (Inglaterra, 1916; e França, 1920). Com apoio de imagens para contar essa trajetória, Daniela mostrará o impacto de supereditoras como Diana Vreeland, que, nos anos 1960, transformou modelos em celebridades e celebridades em modelos; e Anna Wintour, à frente da revista desde a década de 1980. Não ficará de fora o desembarque no Brasil, em 1975, representando uma nova fase para a expansão mundial, consolidada a partir dos anos 1990, quando foi lançada em países cujo mercado de luxo está em pleno crescimento, caso de Rússia, Japão, Índia e Turquia.



REVELANDO OS ARQUIVOS FOTOGRÁFICOS DE ROSÂNGELA RENNÓ


Rosângela Rennó não costuma tirar muitas fotos. No entanto, ela se transformou em uma das principais referências em artes plásticas quando o assunto é fotografia, suas ressignificações e desdobramentos. Ela prefere manipular imagens e negativos feitos por outras pessoas, muitas vezes anônimas, retrabalhando a memória e, sobretudo, as ausências e faltas na memória. Em uma época em que o apelo da fotografia é onipresente, Rosângela conseguiu construir uma obra original com reconhecimento de crítica no Brasil e no exterior. Seus trabalhos estão em alguns dos principais museus de arte moderna, como o Reina Sofia (Madri), a Tate Modern (Londres), o Arts Institute of Chicago, o Guggenheim (Nova York) e o Stedelijk (Amsterdã). Ela também acaba de ganhar o prêmio de melhor foto-livro do mundo da Paris Photo-Aperture Foundation, na França, com A01 [COD. 19.1.1.43] – A27 [S|COD.23], livro sobre as fotografias de Augusto Malta furtadas do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. Nesse encontro especial, Rosângela mostrará e comentará seus últimos trabalhos a partir de investigações em arquivos fotográficos e falará de sua dedicação à produção de foto-livros.



VIAJANDO PELA FRANÇA E PELA SUA HISTÓRIA DA ARTE


Esse curso pretende oferecer uma viagem virtual pelo interior da França começando pela Provence, seguindo por Languedoc-Roussillon, para chegarmos ao extremo do sudoeste. Voltando para o norte e nordeste iremos a Normandia, a Picardia, e às regiões de Champagne, Alsace e Lorraine. Um mundo de pequenas cidades, catedrais, museus e aromas de boa mesa e bons vinhos!



O CINEMA POR TRÁS DAS TELAS


Com ampla experiência atrás das telas – como diretor e produtor, como superintendente da Ancine e como professor –, Alberto Flaksman estreia na CASA com um curso em que aborda as estruturas de funcionamento das indústrias de cinema no Brasil, nos Estados Unidos e na França. Além de explicar os mecanismos de financiamento, ele analisa o mercado audiovisual com suas mudanças recentes.