Busca

     

Resultado



GRANDES OBRAS SOBRE O AMOR | OS SOFRIMENTOS DO JOVEM WERTHER , DE JOHANN WOLFGANG VON GOETHE


“O que é amar senão compreender e regozijar-se com o fato de que um ser viva, aja e sinta de maneira diferente da nossa, até mesmo oposta?”, escreveu Nietzsche em seu Humano, Demasiado Humano. Por vezes, a filosofia procurou responder à questão sobre o que é o amor e o que nos leva a sucumbir a ele. Nesse sentido, a literatura também fez a sua parte ao retratar a sensibilidade e as angústias de uma alma apaixonada, através de romances consagrados que atravessaram o tempo.

O que os pensadores clássicos têm a nos dizer sobre a condição humana perpassada pela experiência do amor? De que forma suas tramas e personagens refletem as relações intersubjetivas e os aspectos históricos e sociais de suas épocas?

Neste encontro, analisaremos sob a perspectiva filosófica o romance epistolar de Goethe, uma história de amor que nos revela que a vida só pode ser efetivamente guiada pelas emoções e que encarna a ideia romântica de que é legítimo “morrer por amor”.



GRANDES OBRAS SOBRE O AMOR | A DIVINA COMÉDIA , DE DANTE ALIGHIERI


“O que é amar senão compreender e regozijar-se com o fato de que um ser viva, aja e sinta de maneira diferente da nossa, até mesmo oposta?”, escreveu Nietzsche em seu Humano, Demasiado Humano. Por vezes, a filosofia procurou responder à questão sobre o que é o amor e o que nos leva a sucumbir a ele. Nesse sentido, a literatura também fez a sua parte ao retratar a sensibilidade e as angústias de uma alma apaixonada, através de romances consagrados que atravessaram o tempo.

O que os pensadores clássicos têm a nos dizer sobre a condição humana perpassada pela experiência do amor? De que forma suas tramas e personagens refletem as relações intersubjetivas e os aspectos históricos e sociais de suas épocas?

Nesta aula, veremos o tema do amor em A divina comédia, escrita por Dante Alighieri na Idade Média, quando este sentimento se manifestava na valorização da “musa inspiradora” pela poesia dos trovadores.



GRANDES OBRAS SOBRE O AMOR | ANNA KARENINA , DE LIEV TOLSTÓI


“O que é amar senão compreender e regozijar-se com o fato de que um ser viva, aja e sinta de maneira diferente da nossa, até mesmo oposta?”, escreveu Nietzsche em seu Humano, Demasiado Humano. Por vezes, a filosofia procurou responder à questão sobre o que é o amor e o que nos leva a sucumbir a ele. Nesse sentido, a literatura também fez a sua parte ao retratar a sensibilidade e as angústias de uma alma apaixonada, através de romances consagrados que atravessaram o tempo.

O que os pensadores clássicos têm a nos dizer sobre a condição humana perpassada pela experiência do amor? De que forma suas tramas e personagens refletem as relações intersubjetivas e os aspectos históricos e sociais de suas épocas?

Neste encontro, veremos como a relação entre Anna e Vronsk, assim como a narrativa sobre todas as personagens que marcam este grande clássico, são de suma relevância e atualidade, principalmente levando em conta as relações de gênero e classe e seus efeitos na esfera privada.



GRANDES OBRAS SOBRE O AMOR | ROMEU E JULIETA , DE WILLIAM SHAKESPEARE


“O que é amar senão compreender e regozijar-se com o fato de que um ser viva, aja e sinta de maneira diferente da nossa, até mesmo oposta?”, escreveu Nietzsche em seu Humano, Demasiado Humano. Por vezes, a filosofia procurou responder à questão sobre o que é o amor e o que nos leva a sucumbir a ele. Nesse sentido, a literatura também fez a sua parte ao retratar a sensibilidade e as angústias de uma alma apaixonada, através de romances consagrados que atravessaram o tempo.

O que os pensadores clássicos têm a nos dizer sobre a condição humana perpassada pela experiência do amor? De que forma suas tramas e personagens refletem as relações intersubjetivas e os aspectos históricos e sociais de suas épocas?

Neste encontro discutiremos como o romance entre os amantes de Verona transformou-se no mito fundador do amor para nossa cultura, através de seu enquadramento político.



GRANDES OBRAS SOBRE O AMOR | O ADEUS, DE FRIEDRICH VON SCHLEGEL


“O que é amar senão compreender e regozijar-se com o fato de que um ser viva, aja e sinta de maneira diferente da nossa, até mesmo oposta?”, escreveu Nietzsche em seu Humano, Demasiado Humano. Por vezes, a filosofia procurou responder à questão sobre o que é o amor e o que nos leva a sucumbir a ele. Nesse sentido, a literatura também fez a sua parte ao retratar a sensibilidade e as angústias de uma alma apaixonada, através de romances consagrados que atravessaram o tempo.

O que os pensadores clássicos têm a nos dizer sobre a condição humana perpassada pela experiência do amor? De que forma suas tramas e personagens refletem as relações intersubjetivas e os aspectos históricos e sociais de suas épocas?

Neste encontro, veremos, como afirmou Friedrich von Schlegel, que o Romantismo não só se propunha à dissolução e à mistura dos gêneros literários e das ideias de beleza como buscava a fusão entre a vida e a poesia. E mais: socializar a poesia."



CINECLUBE


O cineclube da CASA DO SABER RIO oferece aos interessados a oportunidade de assistirem a filmes clássicos e contemporâneos seguidos por debates conduzidos pelo curador e crítico de cinema Filippo Pitanga.

Nessa primeira edição, teremos como tema Os mestres dos mestres: como o cinema nos ensinou a sonhar. Apresentaremos três cineastas basilares e como se dá a influência entre eles, a comunicação de suas linguagens e o uso da fantasia e da magia do cinema como interpretações que vão da psicanálise à filosofia.



O LUGAR DA FANTASIA NA PSICANÁLISE


A fantasia regula a nossa relação com a realidade, sempre insatisfatória diante de nossos desejos. Por essa razão, é onipresente em todas as atividades humanas. Uma das grandes descobertas da psicanálise é o lugar primordial ocupado pela fantasia no aparelho psíquico. Este curso tratará de alguns de seus aspectos mais importantes para o estudo da vida humana: o amor, o desejo e o gozo.



PARA LER (E COMPREENDER) FREUD | FREUD E A FANTASIA – OS FILTROS DO DESEJO


Ler Freud ainda é tão atual quanto deitar-se num divã e simplesmente falar, falar, repetir e elaborar, extraindo “a seco” um sentido de seu desejo. Inspirada pela coleção Para Ler Freud, organizada por Nina Saroldi, a CASA DO SABER RIO convidou cinco pensadores para que apresentem de maneira didática grandes temas da obra freudiana, contextualizando-os e relacionando-os a questões contemporâneas.

Nesse encontro, Carlos Alberto de Mattos Ferreira apresentará o livro Freud e a fantasia - Os filtros do desejo.

*Para a compra do ciclo completo entre em contato pelo telefone (21) 2227 2237.
5 AULAS: R$600



HISTÓRIA DA ARTE: PINTURA E ESCULTURA NO FINAL DO SÉCULO XIX


Esse curso oferece um passeio pelo final do século XIX, quando artistas ligados ao pós-Impressionismo selaram, definitivamente, o início da Modernidade no campo da pintura. Simbolistas e Nabis enfatizaram o mundo dos sonhos e da fantasia, como num pré-Surrealismo. Rodin revolucionou para sempre a escultura e abriu as portas para os artistas do século seguinte. Por fim, pré-rafaelitas ingleses e pintores acadêmicos mostraram que a tradição pictórica ainda era necessária nessa época.
 

Excepcionalmente, por uma questão de agenda do professor, a quarta aula do curso será realizada no dia 11 de maio, sexta-feira, das 19h30 às 21h30.