Busca

     

Resultado



FILOSOFANDO COM OS SIMPSONS


No ar há mais de 25 anos, o desenho animado Os Simpsons é famoso por fazer uma leitura bastante crítica da sociedade de consumo, representando caricatamente uma típica família de classe média americana, reproduzida por grande parte do mundo capitalista ocidental.

Com características um tanto peculiares, os membros da família Simpson – Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie – acabam por tocar em um espectro variado de temas caros à filosofia, de Deleuze e Foucault a Hannah Arendt e Bauman. A proposta desse curso é utilizar a cada aula um personagem para apresentar uma teoria filosófica.



NEUROCIÊNCIA, UMA NOVA CIÊNCIA PARA A MODA


Em um cenário no qual a moda se mostra a cada dia mais multidisciplinar, dinâmica e mutante, e seu consumidor, cada vez mais multifacetado e menos fiel às marcas, conhecer as bases comportamentais do ser humano e o funcionamento do cérebro é fundamental, pois experiências marcantes são capazes de mobilizar nossas emoções de forma profunda, gerando uma forte memória de marcas e produtos que, a partir das mesmas, passam a ser percebidos como singulares e especiais.

Atividades que envolvem criatividade e inovação, como a moda, estão intimamente relacionadas com aspectos emocionais implícitos do comportamento humano como a atenção, percepção, motivação, o hábito, e o pensamento associativo. Todos, diretamente ligados ao processo criativo desde a observação até a criação e produção e, finalmente consumo: desde a leitura das mensagens do contexto, à pesquisa de temas, escolha da cartela de cores, estampas e formas para uma coleção até a disposição de produtos nas vitrines das lojas e decisão de compra, tudo passa pelas sinapses do cérebro.

A compreensão mais profunda do comportamento humano, a partir da perspectiva da Neurociência Comportamental, pode se tornar uma poderosa ferramenta de trabalho na área criativa. A proposta deste workshop é oferecer conhecimento essencial sobre os fundamentos da Neurociência e do Neuromarketing e trabalhar suas referências voltadas para o segmento da moda, através da reflexão, discussão e de exemplos práticos de suas aplicabilidades.



DILEMAS ÉTICOS DA ATUALIDADE: MERCADO, CONSUMO, PRIVACIDADE E EXPRESSÃO


O mundo contemporâneo, com transformações aceleradas que afetam da forma como nos relacionamos à maneira como consumimos, nos desafia diariamente com dilemas éticos que, apesar de muitas vezes inéditos, nos remetem a questões filosóficas fundamentais. Nesse curso, abordaremos algumas das indagações com as quais nos confrontamos nas esferas política, econômica, social e existencial, buscando teorias que sirvam de alicerce para uma reflexão mais aprofundada acerca da melhor forma de agir na atualidade.



MÍDIA, MENTE, CORPO E MUTAÇÕES NA CULTURA CONTEMPORÂNEA


Vivemos hoje em um mundo balizado por tecnologias que, muitas vezes, encarceram os indivíduos em seus próprios gadgets. A proposta desse curso é chamar a atenção para a urgência de se investigar os efeitos que o uso de tecnologias midiáticas pode promover na sociedade. Trata-se, assim, de revisitar Marshall McLuhan, particularmente a sua proposição de que a emergência de todo novo conjunto tecnológico implica uma reprogramação sensorial e cognitiva de corpos e mentes, além de transformações socioculturais profundas.

Assim, analisaremos práticas comuns, como o uso de celulares, a participação em redes sociais, o consumo de música e de jornalismo on-line, a adoção de aplicativos nos deslocamentos pelas cidades e os possíveis efeitos desses hábitos no pensamento, na atenção, nas sensorialidades (visualidade, audibilidade e tatilidade), no senso de privacidade, na individualidade. E também em práticas políticas, religiosas, educacionais e até mesmo nas identidades coletivas.



CONSUMO, PUBLICIDADE E IDENTIDADE


O consumo constitui um sistema simbólico capaz de definir e reproduzir um amplo conjunto de valores, crenças e códigos sociais, enquanto as narrativas midiáticas transmitidas por diversos dispositivos sustentam práticas que afetam nossa vida em diferentes planos, do afetivo ao profissional. Neste encontro, abordaremos o consumo como fenômeno central na nossa experiência moderno-contemporânea, com destaque para a relação entre gostos, modas e representações midiáticas; a criação de categorias e vínculos entre bens e pessoas através da publicidade; a elaboração de identidades e grupos sociais a partir de marcas; as compras e a participação política; e a etnografia como método para conhecer os consumidores.

 

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.



CRIANÇA, COMIDA E CONSUMO


A frequência cada vez maior de doenças crônicas como diabetes e hipertensão arterial entre crianças indica que precisamos compreender o que está acontecendo com a alimentação infantil. Como mudar o cenário? Qual o papel da família, da escola, da indústria e da mídia nesse quesito? Até que ponto os pais podem construir uma alimentação melhor para seus filhos?

Sabemos que o caminho dessa busca passa pela valorização do momento das refeições, pela preferência por alimentos não industrializados, pela oferta variada de produtos e também pelo exemplo. Mas será que isso basta? Como conciliar uma boa alimentação com o ritmo acelerado da vida atual, o bombardeio da publicidade e a resistência de muitas crianças ao novo?

Hoje, a alimentação, assim como a saúde, precisa ser revista de modo amplo para que as novas gerações consigam construir hábitos sem as obsessões que correm o risco de se transformar em transtornos alimentares – cada vez mais comuns em adolescentes. Nesse encontro, a nutricionista Bia Rique convida para um bate-papo sobre como podemos construir uma relação saudável com a comida, sem cair na armadilha dos muitos mitos que cercam a alimentação.



A MEDICALIZAÇÃO DA INFÂNCIA


A cultura do medicamento se tornou um fator preponderante na sociedade contemporânea. Passamos a entender a saúde como um subproduto do consumo de fármacos, ignorando que as doenças mais frequentes na atualidade não são causadas por agentes externos, como no passado, e sim por fatores genéticos e, principalmente, pelo estilo de vida.

Essa medicalização excessiva chegou também à infância, acometida por métodos antinaturais desde a gestação. Antes do nascimento, famílias são induzidas a optar pela cirurgia como forma de trazer seus filhos ao mundo. Ainda nos primeiros meses dos bebês, os pais são convencidos de que os problemas da amamentação podem ser facilmente solucionados com o uso de fórmulas ou leites artificiais, o que muitas vezes suprime o precioso leite materno.

O modo de vida acelerado e a superexposição às telas – que levam ao confinamento, estimulam o consumo irrefreável de novos produtos e afetam a qualidade do sono das crianças – resultam em ganho de peso, desatenção e problemas de escolaridade. E crescem os diagnósticos de hiperatividade e déficit de atenção, o uso excessivo de drogas psicoativas e um crescente mercado de antidepressivos entre crianças de dois a seis anos.

Nesse encontro, a CASA DO SABER RIO recebe o pediatra Daniel Becker para debater as causas desse fenômeno e propor alternativas à medicalização infantil, passando por temas como os métodos educativos, a convivência familiar, a importância do livre-brincar e os mitos científicos sobre a saúde.



O BEM VIVER E AS ALTERNATIVAS AO PROGRESSO COMO O CONHECEMOS


Perseguido por governos à direita e à esquerda do espectro político, o desenvolvimento econômico não apenas foi incapaz de acabar com as desigualdades sociais, como está colocando em risco a sobrevivência dos seres humanos na Terra. Em um mundo com recursos naturais finitos, é impossível imaginar que todos cresçam indefinidamente. Para que os demais países alcancem os padrões de produção e consumo das nações ditas desenvolvidas, apenas um planeta não seria suficiente. Mas qual a alternativa? Para muitos, a resposta está no Bem Viver, filosofia defendida pelo equatoriano Alberto Acosta e que encontra inspiração em práticas indígenas sul-americanas.

Nesse encontro, organizado pela CASA DO SABER RIO em parceria com a Escola Parque, o professor Leonardo Boff debaterá com o gestor de sustentabilidade da escola, Carlos Alberto Nascimento, sobre os princípios do Bem Viver e a superação da noção atual de progresso.      


22 DE AGOSTO > TERÇA, ÀS 19H30, NO AUDITÓRIO DA LIVRARIA DA TRAVESSA DO BARRASHOPPING
29 DE AGOSTO > TERÇA, ÀS 19H30, NA CASA DO SABER RIO

Apoio
​      



INOVAÇÕES SUSTENTÁVEIS


“Business as usual” é sinônimo de ecocídio. Em um cenário de crise ambiental sem precedentes na História, somos todos instigados a corrigir a rota na direção de um modelo de gestão (público e privado) mais eficiente, com certificação e selagem, que promova produção mais limpa e consumo consciente. Tal atitude abre novas perspectivas de negócios para quem acompanha a evolução dos acontecimentos nas negociações do clima (Acordo de Paris), na definição dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU (em substituição às Metas do Milênio) e na mudança de cultura em favor de um estilo de vida mais saudável e sustentável. Há um novo mundo em gestação. Você está preparado para ele?

*O ciclo ocorre das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada encontro.