Busca

     

Resultado



FAKE NEWS : DISSEMINAÇÃO, IMPACTOS POLÍTICOS E CHECAGEM DE FATOS


A disseminação de notícias falsas – as chamadas fake news, no termo em inglês – desempenha um papel cada vez mais decisivo no ambiente político-eleitoral. A saída do Reino Unido da União Europeia e a eleição do magnata Donald Trump à presidência dos Estados Unidos são os exemplos mais vistosos desse fenômeno, mas estão longe de ser os únicos. Turbinadas pela tendência humana de não desconfiar de informações que reforcem suas crenças e viralizadas com a ajuda de perfis falsos e de contas robôs (bots), as falsas notícias muitas vezes geram mais engajamento do que informações que poderiam ser facilmente verificadas.

Nesse cenário em que notícias, vídeos e imagens falsos têm cada vez mais influência para moldar a opinião pública, a checagem das informações mais compartilhadas nas redes torna-se fundamental. Nesses dois encontros, a CASA DO SABER RIO recebe dois especialistas que apresentarão um histórico desse fenômeno, discorrerão sobre os seus impactos políticos e explicarão como é feito o processo de fact checking, compartilhando dicas que podem ser usadas por todos para verificar a credibilidade de informações.



O MUNDO SEGUNDO TRUMP: AS RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS ESTADOS UNIDOS EM TEMPOS DE FOGO E FÚRIA


Donald Trump assumiu a presidência dos Estados Unidos em janeiro de 2017 prometendo reposicionar o país como uma grande nação. Desde a campanha eleitoral, ao longo de 2016, tem surpreendido o mundo pela maneira como se refere a outros líderes mundiais e outros países. Ora são elogios rasgados, como os feitos ao presidente russo – acusado pelos próprios órgãos de inteligência do governo americano de interferir na eleição presidencial de 2016 –, ora são ataques verbais à China, à Coreia do Norte, ao Irã ou ao México.

Mas, retóricas do presidente à parte, como estão as relações internacionais americanas sob sua gestão? O objetivo desse curso é discutir essa questão com ênfase na política externa para China, Rússia e Oriente Médio, compondo o contexto histórico e político das manchetes da imprensa e da mídia, com uma frequência surpreendente nestes tempos de fogo e fúria.



O PENSAMENTO POLÍTICO DE HANNAH ARENDT


Brilhante e polêmica, Hannah Arendt foi uma das principais pensadoras do século XX. Buscou compreender a sua época “entre o passado e o futuro”, ou seja, diante do fim da tradição e das novidades contemporâneas. Judia alemã, fugiu da Europa com o imperialismo nazista e foi para os Estados Unidos, onde escreveu a maior parte de sua obra, a começar pelas reflexões sobre os próprios regimes totalitários. Eram "tempos sombrios". Mesmo neles, porém, Hannah Arendt acreditava que se podia esperar a compreensão pelo pensamento e o nascimento do novo pela política.



MARTIN LUTHER KING JR. E NELSON MANDELA: A LUTA PELA LIBERDADE


Há 50 anos ocorria a tragédia que levou Martin Luther King Jr. à morte e há 100 anos nascia Nelson Mandela. Assim, o ano de 2018 é uma oportunidade especial para homenagear esses dois líderes da luta contra o racismo. As leis segregacionistas de Jim Crow no Sul dos Estados Unidos deixaram de vigorar há mais de meio século, e o apartheid, regime de segregação adotado na África do Sul, acabou oficialmente há quase 25 anos. Mas todo o tempo transcorrido desde então não foi suficiente para apagar as reminiscências sociais dessas políticas.

O curso abordará não só as conquistas políticas dessas duas personalidades, como também suas histórias de vida, o contexto no qual viveram e como seu legado pode ser útil até hoje para se pensar a opressão de forma ampla. Os historiadores Ynaê Lopes dos Santos e Amilcar Pereira serão os guias nessa viagem através de sonhos, força, resistência, derrotas e vitórias.



GUERRA E PAZ NA ÁSIA DO SÉCULO XXI: UM NOVO CENÁRIO GEOPOLÍTICO?


Os Estados Unidos e a Coreia do Norte se enfrentarão em uma guerra nuclear? Uma China fortalecida irá recuperar Taiwan? Qual o papel do Japão e da Rússia nesse contexto?

Os rumos do mundo no século XXI estão sendo cada vez mais definidos pelas relações entre China e Estados Unidos, com os chineses desfrutando anos de crescimento econômico acelerado e as potências ocidentais entrando em crise. Ao longo desta década, a diplomacia chinesa se tornou mais assertiva, desafiando o Ocidente em questões como a disputa de limites no Mar do Sul da China e lançando o ambicioso programa de infraestrutura da Nova Rota da Seda, que pode mudar o equilíbrio de poder na Ásia Central e no Sudeste Asiático.

Este curso discute o novo cenário geopolítico asiático neste início de século a partir dos conflitos crescentes envolvendo uma China em ascensão, seus vizinhos e os Estados Unidos, que se defrontam com crise política e instabilidade.



INVESTIMENTOS DE IMPACTO: O ALCANCE SOCIAL E AMBIENTAL PARA ALÉM DO LUCRO


O investimento em empresas e projetos capazes de gerar não apenas dividendos, mas também impactos sociais e ambientais positivos, tem chamado cada vez mais a atenção no mundo corporativo. Nomes como Bono, do U2, e Pierre Omidyar, fundador do e.Bay, têm sido alavancadores do setor, que já conta com grandes players globais.

O TPG Growth, um dos maiores e mais reconhecidos fundos de Private Equity do planeta, está captando US$ 2 bilhões para o The Rise Fund, de impacto social. A Goldman Sachs adquiriu, em 2015, a Imprint, empresa com o mesmo perfil. O tema também se dissemina no meio acadêmico: na tradicional escola de formação de executivos de Wharton, nos Estados Unidos, mais alunos se inscrevem na cadeira de Investimento de Impacto do que na de Investimentos Tradicionais.

Nesse encontro, os participantes terão a oportunidade de conhecer mais sobre essa modalidade, que vem atraindo tanto o dinheiro de filantropos quanto de investidores tradicionais, beneficiando setores como educação, agricultura, energia renovável, saúde e serviços básicos.

 

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.  



ELEIÇÕES E INTERNET: O QUE A CAMPANHA DE TRUMP TEM A DIZER SOBRE O BRASIL EM 2018


A eleição do magnata Donald Trump para a Presidência dos Estados Unidos, em 2016, marcou uma inflexão na forma de usar a internet inaugurada por seu antecessor, Barack Obama. Enquanto o democrata ganhou notoriedade por conquistar engajamento inédito na web – levando milhões de eleitores a contribuir financeiramente com sua campanha –, o republicano ficou conhecido pela propagação de notícias falsas, utilização maciça de robôs e abordagem seletiva de eleitores com a ajuda de perfis psicológicos traçados a partir de cliques no Facebook.

Nesse encontro pretende-se debater, no plano da teoria, a relação entre internet e democracia e, mais especificamente, entre internet e campanhas eleitorais, para depois analisar essas duas experiências americanas, ambas com bons resultados nas urnas. Serão abordados ainda dados sobre os pleitos de 2014 e 2016 no Brasil. Ao fim, a intenção é produzir uma reflexão conjunta sobre as expectativas para as eleições brasileiras de 2018.



DIALOG PARA PAIS
Tem vida lá fora: o desafio de sair dos espaços fechados


Alerta geral: 84% das crianças brasileiras brincam ao ar livre, no máximo, duas horas por dia – e, para quase metade delas, o tempo é ainda menor. Esses dados são de uma recente pesquisa encomendada pela OMO, feita com 12 mil pais de dez países, entre eles Brasil, China, Estados Unidos, Reino Unido. As estatísticas são assustadoras e apontam que os pequenos estão brincando e usando o seu corpo cada vez menos. Há múltiplas razões para explicar o fenômeno: do medo da violência nas ruas ao uso excessivo da tecnologia. A pauta é, pois, pertinente e urgente no nosso tempo. Passamos muitas horas do dia enclausurados em escritórios, em casa, em salas de aula e nos desconectamos da natureza e do ar livre. É um caminho sem volta? Esse é o tema do nosso encontro de sábado.



A VERDADE POR TRÁS DA PÓS-VERDADE


Cunhado na década de 90, o termo “pós-verdade” foi alçado pela Universidade de Oxford à condição de Palavra do Ano em 2016. No mundo todo, pululam exemplos de como fatos objetivos vêm perdendo o poder de influenciar a opinião pública para notícias falsas que apelam para as emoções e as convicções pessoais da população. A saída do Reino Unido da União Europeia e a eleição do magnata Donald Trump à presidência dos Estados Unidos são apenas os casos mais vistosos dessa tendência.

Também no Brasil notícias forjadas por interesses ideológicos ou econômicos se espalham pela internet e muitas vezes geram mais engajamento do que outras que poderiam ser facilmente verificadas. Mas, afinal, por que acreditamos naquilo que nos convém? Quais as implicações políticas, éticas e institucionais desse fenômeno? E como podemos evitar cair na armadilha da desinformação?

A CASA DO SABER RIO convida a jornalista Barbara Gancia e o filósofo Luiz Felipe Pondé para debater essas e outras questões em um encontro especial no Teatro Oi Casa Grande. A mediação será feita pelo professor de Comunicação Política da Puc-Rio Arthur Ituassu.

> Este encontro será realizado no Teatro Oi Casa Grande (Avenida Afrânio de Melo Franco, 290 - Leblon)
> Ingressos disponíveis em http://bit.ly/2x5rQA1 e na bilheteria do Teatro Oi Casa Grande
> Doe um livro e pague meia entrada

APOIO

​