Busca

     

Resultado



AGRESSIVIDADE NA ESCOLA: O PROBLEMA DO BULLYING


Fenômeno recorrente nas escolas, o bullying é um dos temas da área de Educação que parece não se esgotar. Por mais que se discuta nas esferas escolar e familiar a incidência de casos e suas variações, nem sempre se dá ao fenômeno a relevância que mereceria receber de pais e educadores.

Diante das graves consequências para as vítimas e para os próprios agressores, qual o papel da escola e da família ao lidar com o problema, de forma a manter um diálogo aberto e responsável, sem que se tornem meros expectadores?

Para discutir as causas, o perfil dos alvos e provocadores do bullying e suas diferentes práticas, a CASA DO SABER RIO recebe a educadora Tania Zagury para ministrar um curso sobre a questão da agressividade entre estudantes nas escolas.



MEDIAÇÃO DE CONFLITOS


A mediação de conflitos é uma especialidade que começou a ser desenvolvida profissionalmente no Brasil há pouco tempo e pode ser aplicada a diferentes tipos de questões, desde divórcio até assuntos de alta complexidade entre empresas multinacionais. Ela tem sido cada vez mais usada porque facilita a resolução da disputa de forma mais rápida e menos onerosa do que atravessar todo um litígio judicial com as suas complexidades, fases e prazos.

Nesse encontro, além de um panorama sobre a mediação de conflitos no Brasil, a nossa conversa será focada nas questões empresariais, como disputas entre sócios – ou entre parceiros comerciais –, e na mediação em empresas familiares, onde desentendimentos surgem no habito da gestão, da família, da sociedade e da sucessão, muitas vezes afetando a rentabilidade do negócio.

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.



OS BENEFÍCIOS DA ORGANIZAÇÃO NO NOSSO DIA A DIA


Micaela tinha uma amiga que gastava horas do dia para gerir a rotina de sua casa. Tinha dificuldades para organizar papéis e documentos importantes e acabava bagunçando a própria vida. A situação ainda ficou pior depois de uma mudança na configuração familiar. Certo dia percebeu que precisava de ajuda para organizar esta dinâmica. Micaela foi ao socorro dela e colocou a papelada e a rotina da casa em ordem, percebendo que esse era um grande desafio para muita gente.

Assim, por acaso, tornou-se consultora em organização e apresentadora do programa Santa Ajuda no canal GNT. Nesse encontro, receberemos Micaela Góes para falar um pouco sobre como a organização pode transformar para melhor a nossa rotina.



FAMÍLIA E ESCOLA: AS CONTROVÉRSIAS DE UM CASAMENTO INDISSOLÚVEL


O encontro visa discutir as expectativas idealizadas pelo contrato social firmado entre a família e a escola e suas consequências sobre a aprendizagem e a saúde mental dos jovens, especialmente a questão da felicidade na cultura contemporânea e o mito ingênuo de uma educação indolor.



O FIM DO AMOR


Como a psicanálise (com a sua subjetividade) e a justiça (com a sua objetividade) nos ajudam a atravessar o fim do amor? Em uma cultura composta por relações cada vez mais efêmeras, qual o lugar da família? E quais as consequências dessa efemeridade para a função parental?

O fim do amor é normalmente vivido como o fracasso de uma promessa, a frustração de uma esperança. Isso pode colocar o sujeito diante de uma perda sentida como irrecuperável, muitas vezes transportada para o campo da justiça.

Nessa aula aberta, a juíza de família Andréa Pachá e a psicanalista Sandra Niskier Flanzer abordam, à luz do direito e da psicanálise, a ruptura de relações estabelecidas a princípio para durar. A discussão será feita a partir da apresentação de casos reais em que os lugares familiares e a parentalidade ficam em questão - por exemplo, na alienação parental ou na ausência de um dos pais.



O DILEMA DA CULTURA FAMILIAR CONTEMPORÂNEA


Com a melhor das intenções, as famílias têm utilizado estratégias de controle excessivo na educação dos filhos. Monitoramento por câmeras e outros dispositivos eletrônicos, uso de bafômetro a cada volta à casa no fim de semana, grupos de WhatsApp de mães neuróticas, entre outras medidas, passaram a fazer parte de uma rotina que vai se naturalizando.

 

O encontro pretende descrever os efeitos colaterais adversos dessa naturalização e discutir formas de avanço na direção do desenvolvimento emocional seguro, sem comprometimento da autonomia e da saúde mental de crianças e adolescentes.



MEUS FILHOS CRESCERAM. E AGORA?


Um dos momentos cruciais no ciclo vital familiar é a saída dos filhos de casa, o que costuma provocar desde a sensação de abandono até a de dever cumprido. Um dos protagonistas dessa história é o jovem, que precisa reunir forças e seguir em direção ao novo, seja estudando no exterior, seja indo morar sozinho, seja se casando. Os outros são os pais, que ficam com a pergunta: e agora?

 

Quer se encare a questão de forma negativa ou positiva, ou muito possivelmente num misto de ambas, o fato é que, com a saída dos filhos adultos de casa, os pais precisam reestruturar a família, inventar novas histórias e um novo modo de se relacionar entre si e com o mundo exterior.

 

Nesse encontro, a partir da ótica da psicologia sistêmica abordaremos as diferentes fases do ciclo de vida familiar, discutindo as perspectivas para os que ficam e para os que partem em voo solo.



DIVÓRCIO COLABORATIVO: PRÁTICAS PARA EVITAR O LITÍGIO NOS CONFLITOS DE FAMÍLIA


A constatação de que os processos judiciais de natureza familiar causam desgaste para todos os envolvidos, inclusive  os vencedores da ação, tem aumentado a busca pelo divórcio colaborativo. A prática consiste na contratação de advogados que assinam um termo de confidencialidade e não litigância – e contam com o apoio de uma equipe multidisciplinar – para tentar construir um acordo. Em caso de sucesso, este é homologado e ganha validade legal. Do contrário, a equipe deixa o caso e as partes contratam novos representantes para dar início a uma ação litigiosa.

 

O termo de não litigância tem um efeito transformador. Quando os advogados não representam ameaça mútua e trabalham em convergência de propósitos, passam a proporcionar um ambiente protegido de conversa, onde é possível aventar inúmeras possibilidades, sem o receio de que estas, posteriormente, constem de autos de um processo.

 

Neste encontro, a advogada colaborativa Olivia Fürst explica como funciona esse procedimento, que tem se mostrado eficaz na obtenção de acordos consistentes e duradouros para casais divorciados.



WORKSHOP DE INTENÇÕES 2018  


Equilibrar o dever e o prazer é muitas vezes uma tarefa difícil. Mas, com planejamento e mantendo sempre em mente nossos objetivos, é possível conciliar os afazeres com sabedoria e alegria.
 
Neste workshop, os participantes farão intervenções lúdicas e artísticas em uma simples agenda de papel para transformá-la num sinalizador importante de seus projetos. A ideia é que, por meio de colagens e outras atividades, ela se transforme em uma ferramenta capaz de ajudá-los a permanecer fiéis a seus propósitos ao longo de todo o ano, motivando-os para seus objetivos pessoais, conjugais, familiares e profissionais.
 
O percurso será guiado pela psicóloga Zeneide Jacob Mendes com base nos pressupostos da Teoria Sistêmica, que entende o indivíduo a partir de uma perspectiva ampla, abarcando também aspectos familiares e comunitários.
 
Será um momento no qual cada participante poderá refletir sobre quem é, onde está e aonde quer chegar.

 

* Os inscritos deverão trazer sua própria agenda 2018 para o workshop.