Busca

     

Resultado



FEMINISMO (E MACHISMO) NA INTERNET


A facilidade de comunicação e conexão trazida pela internet deu novo impulso ao movimento feminista. Em todo o mundo, mulheres usam sites, redes sociais e aplicativos de celular para denunciar abusos, reivindicar igualdade de direitos e angariar apoios. No Brasil, hashtags como #primeiroassedio, #meuamigosecreto e #mexeucomumamexeucomtodas viralizaram, com milhares de relatos pessoais compondo um retrato assustador da rotina de violência a que muitas estão expostas.

Em sites feministas, internautas discutem pautas tão diversas como sexualidade, aceitação do próprio corpo, maternidade, carreira e representação política. Ao mesmo tempo, a rede é terreno fértil para comentários misóginos e ataques sexistas. Nesse encontro, a escritora Clara Averbuck fala sobre o momento atual do feminismo a partir de sua perspectiva como editora do site Lugar de Mulher, um dos endereços virtuais que têm ajudado a dar visibilidade ao tema.



JUDITH BUTLER E OS PROBLEMAS DE GÊNERO


Um dos nomes mais importantes do feminismo contemporâneo, a filósofa americana Judith Butler ganhou destaque nos anos 1990 com o livro Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. A obra impulsionou o desenvolvimento da teoria queer e é considerada referência em debates que envolvem, por exemplo, a compreensão do gênero como performatividade, a subversão das normas de gênero e a crítica ao sistema sexo/gênero. Nesse curso, a professora Carla Rodrigues fará uma introdução a esse aspecto do pensamento da filósofa, entrelaçando questões candentes entre as feministas hoje.