Busca

     

Resultado



Imagem e palavra na arte


Uma das marcas mais fortes da arte moderna e contemporânea é sua crescente proximidade com a linguagem escrita. Empregada pelo Cubismo para lidar com a crise da pintura, a presença da palavra foi constante na arte do século XX. Juntas, imagem e palavra extrapolaram os gêneros artísticos tradicionais, ganharam o espaço público e transformaram o modo de pensar dos artistas. Esse curso vai examinar momentos decisivos dessa história.



Aspectos fundamentais da tragédia grega


Este curso aborda a proposta de filosofia da tragédia de Aristóteles (Poética) e analisa as tragédias sob dois aspectos fundamentais: estrutura e conteúdo. O gênero poético abarca quatro espécies: poema lírico, épico, cômico e dramático. Cada uma dessas espécies possui características próprias que as distinguem umas das outras. No caso do poema dramático, o elemento central é o enredo trágico. Para que ele provoque as emoções catárticas (temor e piedade), o dramaturgo deve estruturar a sua narrativa de acordo com a fórmula dramática de reviravolta, reconhecimento e calamidade. Em outras palavras, a história deve provocar uma tensão no espectador e, ao mesmo tempo, uma expectativa pela solução. Assim, invariavelmente, a peça apresenta, logo no começo, o problema; em seguida, há um reconhecimento da causa do problema; e, por fim, uma morte. Será abordado um de seus aspectos estruturais (o tempo) e também dois aspectos do seu conteúdo: a caracterização do herói e o embate entre ele e o seu antagonista; e o crime. As peças trágicas são marcadas, em sua maioria, por mortes violentas e por crimes entre membros de uma mesma família. A preferência por esse tipo de história está relacionada ao objetivo de mexer com as emoções do espectador. É chocante “testemunhar” a ação de um pai que mata a própria filha (Ifigênia em Aulis) ou de uma esposa que mata o marido (Agamêmnon).



Georges Simenon como você nunca leu


Com três romances protagonizados pelo comissário Maigret, a Companhia das Letras dá início à publicação das obras completas do mestre da literatura policial Georges Simenon. Para celebrar, a editora promove na CASA DO SABER RIO O GLOBO debate entre seu filho, John Simenon, e Tony Bellotto, com mediação do escritor Raphael Montes. Nessa conversa, estarão em foco a vida e a obra do autor e também a história da literatura policial – gênero que fascina milhões de leitores mundo afora. O debate ocorrerá das 19h30 às 21h e será seguido de um coquetel.   *Distribuição de senhas 30 minutos antes do debate. Sujeito à lotação. Evento com tradução simultânea.



Clássicos da comédia no teatro


A escrita cômica no teatro é rica e variada. Apesar de ter sido considerado um gênero menor por muito tempo, importantes dramaturgos proporcionaram por meio de suas obras o prazer pelo riso. Fundamento da cena ocidental ao lado da Tragédia, a Comédia, em sua versão antiga apresenta-nos seu primeiro grande nome na Grécia Clássica: Aristófanes. Mas foram Shakespeare e Molière, a partir das bases estabelecidas por Menandro e Plauto, que fixaram a Comédia com suas feições modernas. Com sarcasmo e acidez, Jarry quebrou inúmeras convenções e padrões estabelecidos, introduzindo a ruptura radical das vanguardas no gênero.



Da inspiração à ação: uma visão do empreendorismo social


Entender como funciona o terceiro setor não é uma tarefa trivial. Muitos já ouviram falar nesse segmento, têm noção da sua existência, mas poucos são aqueles que compreendem de fato o seu papel na sociedade. A existência de um número cada vez maior de organizações deste tipo, apesar de aparentemente positiva, não reflete necessariamente em mais eficiência para lidar com questões sociais diversas. Pelo case do Instituto da Criança, uma das mais renomadas instituições do gênero, este encontro pretende mostrar as possibilidades de coordenar um ambiente voltado para o social nos moldes corporativos, em que processos, metodologias e tecnologias são empregados de acordo com o que se espera de uma "plataforma social". Passando por alguns conceitos que estão no escopo do terceiro setor e com foco especial no empreendedorismo social, o bate-papo apresentará um caminho na busca por atender aos anseios de uma sociedade mais equilibrada.



Feira Moderna 7: A tecnologia nos filmes de ficção científica


A ficção científica é um dos gêneros mais populares da arte, seja na literatura, na TV, no rádio ou nas histórias em quadrinhos. Mas foi no cinema que o tema encontrou sua forma mais perfeita: com a ajuda dos efeitos especiais, incrivelmente aprimorados ao longo das décadas, tornou-se possível representar, de maneira convincente, todas as tecnologias vislumbradas pelos autores. Nesse encontro, o jornalista Beto Largman recebe um jornalista especializado, um crítico de cinema e um cientista para analisarem juntos a tecnologia descrita em alguns dos filmes de ficção científica mais emblemáticos. Quais se concretizaram? Algumas tecnologias continuam verossímeis apenas no campo da ficção? E quais estão no limiar de se tornarem realidade?    Evento gratuito. Vagas limitadas.



Sem cara de bandido: o rock brasileiro dos anos 80


Rita Lee encerrou um LP lançado em 1980 com “Ôrra meu”, cuja estrofe inicial era “Eu tô ficando velho/ Cada vez mais doido varrido/ Roqueiro brasileiro/ Sempre teve cara de bandido”. Ela não estava fazendo charme. Até ali, o rock brasileiro tinha sido um ponto fora da curva da música popular brasileira, rechaçado tanto pela esquerda quanto pela direita. Ela e Raul Seixas eram guerreiros quase solitários. Na década de 80, porém, o rock mostrou-se o gênero certo na hora e no lugar certos. Coube ao rock fazer a melhor crônica da redemocratização, fosse no aspecto comportamental (“Você não soube me amar”, da Blitz), ou no político (“Inútil”, do Ultraje a Rigor). A proposta do curso é mostrar, a partir do cenário nos três centros roqueiros daqueles anos – Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília –, como esse tipo de música finalmente ganhou o passaporte brasileiro.



Os caminhos do gênero na moda


A moda feminina trilhou séculos de uma interessante trajetória até chegar ao hibridismo atual. Hoje, são poucas as barreiras entre feminino e masculino, o que torna a moda, simultaneamente, singular e plural. Desde o século XIX, vários acontecimentos marcantes e criadores geniais como Cristóbal Balenciaga, Dior, Chanel e Yves Saint-Laurent foram desenhando o cenário fashion contemporâneo. Da rainha Vitória e dos dândis na Inglaterra; do jeans das minas de ouro na Califórnia do século XIX aos ícones do hip hop no século XXI, feminino e masculino foram se misturando, culminando com a inusitada combinação e convivência de gêneros no guarda-roupa feminino. Neste curso, faremos a costura entre fatos, acontecimentos e personagens marcantes desde o século XIX aos dias atuais que provocaram o interessante hibridismo de gêneros na moda feminina do século XXI.



Literatura e psicanálise


Neste encontro, o escritor Evandro Affonso Ferreira e a psicanalista Najla Assy falam sobre as profundas relações entre a Literatura e a Psicanálise: sem o Édipo da peça de Sófocles, Freud provavelmente estaria até agora procurando um filho culpado para seus conceitos. O escritor apresenta histórias sobre Kafka, Guimarães Rosa, Freud, Hilda Hilst, Borges, Montaigne, Heródoto, Manuel Bandeira, entre tantos outros, enquanto a psicanalista analisa, comenta, sobre todos os temas contidos nessas narrativas: o amor, o ciúme, a vaidade, o trágico, o sublime, as angústias metafísicas, o ódio, a morte, os desvãos da alma, a velhice, a generosidade, a fama, enfim, o que move o homem desde tempos imemoriais.



Grandes nomes da chanson française


Entre os milhares de artistas que cantaram em francês, foram escolhidos para esse curso Charles Aznavour, Georges Brassens, Jacques Brel, Edith Piaf e, é claro, Charles Trenet, considerado por muitos o fundador da música francesa moderna. Esses grandes nomes foram selecionados entre tantos excelentes por serem não só autores mas também compositores e intérpretes. E ainda porque suas canções são chansons à texte, um gênero de canção popular cuja qualidade literária, às vezes engajada, se opõe às canções chamadas de variéte, com um conteúdo mais banal.



Clube da ópera


Em oito encontros em horário alternativo, às 15 horas, esse curso abordará algumas das óperas mais famosas do mundo, dos mais renomados compositores, como Verdi e Wagner, e com intérpretes definitivos, como Maria Callas. Os melhores momentos de montagens antológicas serão apresentados, comparados e comentados. Um curso para apaixonados por ópera e para quem pretende se iniciar no gênero.



O gênio Louis Armstrong


Impossível pensar em jazz e não se lembrar de Louis Armstrong. Sua popularidade ultrapassou a barreira de admiradores do gênero musical. Graças a seu carisma, seu talento na arte do improviso, vozeirão com timbre característico, Armstrong se tornou um dos nomes mais conhecidos da música no século XX. Satchmo, como era conhecido esse que foi um dos mais notáveis filhos de Nova Orleans, eternizou sua existência através de canções como Pennies from Heaven, What a Wonderful World e Blueberry Hill.

A CASA DO SABER RIO O GLOBO, em parceria com o Canal Philos TV, realiza um ciclo com sessões de documentários seguidas de um bate-papo relacionado ao tema. Nessa edição, será exibido o documentário Louis Armstrong – Boa noite, pessoal, dirigido por Lyndy Saville, que acompanha o cantor e trompetista em uma de suas últimas performances registradas pelas câmeras. Depois, Ricardo Soneto conversa sobre as principais canções de Armstrong e sua trajetória de sucesso.



Rio 450 anos: Música


Para comemorar os 450 anos de fundação do Rio de Janeiro, a CASA DO SABER RIO O GLOBO e o jornal O Globo promovem uma série de quatro encontros especiais, gratuitos, abordando temas que fazem parte da essência da carioquice. Nesse último encontro, será discutida a herança musical do Rio, que abrange gêneros como chorinho, samba, bossa nova e funk, que nasceram e se desenvolveram aqui e contribuíram para moldar o espírito de uma cidade musical.



Uma escrita entre a ficção e a realidade


Para um encontro em parceria com a editora Boitempo, a CASA DO SABER RIO O GLOBO recebe - com imenso prazer - o autor cubano de livros como Pasado Perfecto, Máscaras e Adiós Hemingway. Em pauta, outro encontro singular - o das narrativas ficcionais próprias do gênero policial com retratos atentos da cultura e da sociedade, através de um investigador de polícia que sonha ser escritor. Ninguém melhor para propor uma reflexão sobre o tema que o próprio Leonardo Padura.

 



Uma viagem à arte da China


Este curso oferece um panorama sobre a arte na China e seus conceitos particulares. Por meio de uma viagem virtual por diferentes regiões do Império do Meio, em quatro aulas fartamente ilustradas, será mostrado o caminho dessa arte milenar, que passa pelo papel, caligrafia, pintura, escultura, porcelana, entre outros gêneros, e que, hoje, ocupa local de destaque no cenário da arte contemporânea.



Monteverdi, Vivaldi e Verdi


Durante boa parte da história da música, houve uma rivalidade estilística entre a escola germânica – representada por Bach, Mozart e Beethoven – e a escola italiana. Esta última encontra em Monteverdi, Vivaldi e Verdi seus três pontos mais altos. Autores de óperas magistrais, cada um desses compositores italianos tem também habilidades específicas na criação de madrigais, cantatas, sonatas para violoncelo, concertos para violino – no caso de Verdi, um réquiem espetacular.

O curso busca apresentar, tanto para curiosos quanto para iniciados, o que torna Monteverdi, Vivaldi e Verdi mestres em gêneros tão distintos. Para isso, serão apresentados episódios de suas biografias em paralelo com exemplos retirados de suas obras mais importantes, que serviram de esteio para uma produção nacional justamente orgulhosa.



Clube da ópera - Verdi, Mozart, Rossini e Wagner


Na Itália, há 400 anos, a música, o teatro e a dança se uniram para criar uma nova forma de arte: a ópera. O êxito foi imediato e, não muito tempo depois, este se tornou o gênero artístico preferido em todo o continente europeu. De lá para cá, o mundo da arte passou por muitas mudanças e o mesmo aconteceu com a ópera. Após o Concerto nas Termas de Caracala, em 1990, o gênero renasceu e se popularizou e, ainda hoje, continua em processo de renovação na voz de grandes intérpretes.

Em quatro encontros, em horário alternativo, às 15 horas, uma seleção do que melhor se produziu recentemente será apresentada, comentada e comparada. Um curso para apaixonados por ópera e para quem pretende se iniciar no gênero.



O cinema por todos os ângulos - A arte de fazer filmes: roteiro e edição


Um filme é aclamado pela crítica: você vai assistir e detesta. Ou, ao contrário, vai ver um filme que levou um “bonequinho dormindo” e gosta muito. Por que isso acontece? É só uma questão de gosto pessoal? Ou os críticos estão vendo alguma coisa que você não percebe? Como se avalia a qualidade técnica e artística de uma produção cinematográfica?

Pensando em responder a essas e outras questões, o ciclo Cinema por todos os ângulos se propõe a fornecer um panorama estendido sobre a sétima arte – dos bastidores ao produto final, passando por gêneros e escolas cinematográficas. O objetivo é permitir uma apreciação mais ampla e fundamentada das produções.

Nesse primeiro módulo, em cinco aulas com exibição de trechos de filmes, serão explorados os papéis do roteiro e da direção. Quais os principais elementos do roteiro? Ele é indispensável? Quanto ao diretor, qual sua importância real? Como dizer se uma direção é boa ou não?



A Turquia em questão


No dia 24 de novembro, a Turquia derrubou um avião militar russo que teria invadido seu espaço aéreo perto da fronteira com a Síria, evento com potencial de agravar ainda mais a crise em uma região já tomada por conflitos e questões sensíveis. Mesmo antes do episódio, os olhos do mundo já se voltavam à Turquia por causa do seu importante papel geopolítico: seja na questão dos refugiados, seja no conflito sírio, uma vez que sua fronteira vem se mostrando essencial para a entrada de recrutas do Estado Islâmico. O ano de 2015 também foi marcante para o país por suas eleições parlamentares, fundamentais para o desenho de um novo projeto político de poder - que em questões de gênero, liberdade de imprensa e, sobretudo, na participação dos curdos, provoca acalorado debate. O intuito dessa aula aberta é apresentar um breve panorama político atual da Turquia e refletir sobre o impacto atual da guerra da Síria no país.



Clube da ópera - Mozart, Verdi, Puccini, Boublil e Schönberg 


Há 400 anos, a música, o teatro e a dança se uniram na Itália para criar uma nova forma de arte: a ópera. O êxito foi imediato e ela se tornou o estilo musical preferido em todo o continente europeu. De lá para cá, o mundo passou por muitas mudanças, assim como a ópera. Após o Concerto nas Termas de Caracala, em 1990, o gênero renasceu e se popularizou e, ainda hoje, continua em processo de renovação na voz de grandes cantores, regentes e produtores.

​Em quatro encontros, às 15 horas, vamos analisar os fenômenos da ópera na atualidade, de Maria Callas a Jonas Kaufmann. Um curso para apaixonados pelo tema e para quem pretende se iniciar no gênero.



O cinema por todos os ângulos - A arte de fazer filmes: montagem, som, fotografia, direção de arte e interpretação


Um filme é aclamado pela crítica: você vai assistir e detesta. Ou, ao contrário, vai ver um filme que levou um “bonequinho dormindo” e gosta muito. Por que isso acontece? É só uma questão de gosto pessoal? Ou os críticos estão vendo alguma coisa que você não percebe? Como se avalia a qualidade técnica e artística de uma produção cinematográfica?

Pensando em responder a essas e outras questões, o ciclo Cinema por Todos os Ângulos se propõe a fornecer um panorama estendido sobre a sétima arte – dos bastidores ao produto final, passando por gêneros e escolas cinematográficas. O objetivo é permitir uma apreciação mais ampla e fundamentada das produções.

Nesse módulo, em cinco aulas com exibição de trechos de filmes, serão explorados os papéis de profissionais envolvidos no fazer cinematográfico, para além das funções de diretor e roteirista. Como se avalia a qualidade técnica e artística de uma montagem? O que faz o diretor de fotografia? E qual a contribuição do diretor de arte?



O lugar do corpo da mulher


Espaço de controle social, o corpo da mulher pode ser considerado um campo de batalha, pois reflete as tensões e os sofrimentos da busca por um ideal de beleza disciplinado e, muitas vezes, irreal. Por mais elásticas que sejam as fronteiras políticas, sociais e culturais, é cada vez mais imperativo que se discutam novos caminhos para que a mulher se aproprie de seu corpo e consiga construir uma relação saudável com a autoimagem.

A CASA DO SABER RIO O GLOBO convida uma nutricionista com experiência no atendimento de mulheres e uma socióloga com experiência na defesa dos direitos das mulheres para um diálogo sobre as possibilidades do corpo feminino. Serão discutidas as relações entre corpo, gênero e poder em perspectiva histórica e as relações entre corpo e sociedade.



Mulheres e conflitos armados


A atuação de mulheres em diversas forças armadas ao redor do mundo, bem como o papel delas em importantes focos de resistência – como as guerrilheiras peshmerga frente aos avanços do Estado Islâmico –, vem chamando cada vez mais a atenção.

O objetivo desse curso é apresentar um panorama de diversos conflitos armados, tendo como recorte a questão de gênero, a fim de evidenciar aqueles em que a presença feminina se mostrou fundamental. Contaremos com a ajuda das teorias da filósofa norte-americana Judith Butler e das ideias das escritoras Svetlana Aleksiévitch, bielorussa, e Susan Sontag, norte-americana, para refletir sobre os estudos de caso.



Judith Butler e os problemas de gênero


Um dos nomes mais importantes do feminismo contemporâneo, a filósofa americana Judith Butler ganhou destaque nos anos 1990 com o livro Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. A obra impulsionou o desenvolvimento da teoria queer e é considerada referência em debates que envolvem, por exemplo, a compreensão do gênero como performatividade, a subversão das normas de gênero e a crítica ao sistema sexo/gênero. Nesse curso, a professora Carla Rodrigues fará uma introdução a esse aspecto do pensamento da filósofa, entrelaçando questões candentes entre as feministas hoje.