Busca

     

Resultado



História da arte: da arte islâmica ao Renascimento

Esse curso oferece um percurso pela história da arte, partindo da arte islâmica até o Renascimento. Ao longo de quatro aulas fartamente ilustradas, será apresentada a arte da Idade Média, com os principais exemplos do românico e do gótico e o legado de seus grandes mestres.



Pensadores

Em seu tradicional ciclo Pensadores, a CASA DO SABER RIO reúne destacados professores para a apresentação dos aspectos mais relevantes do pensamento de alguns dos principais filósofos e humanistas do Ocidente.

Os autores serão analisados segundo o contexto de sua obra, sua biografia e sua contribuição para a história do pensamento. Nessa edição, seguiremos de Hegel a Deleuze, em dez aulas semanais que poderão ser acompanhadas do início ao fim, em sua totalidade, ou de maneira independente, em aulas avulsas.

AULA AVULSA: R$ 130,00
5 AULAS: R$ 555,00 - 3 PARCELAS DE R$ 185,00
10 AULAS: R$ 1035,00 - 3 PARCELAS DE R$ 345,00

*Para compras de aulas avulsas e pacotes, ligar para 2227 2237.



Quatro governantes que mudaram o Brasil

Ao longo da história do Brasil, algumas administrações foram mais capazes do que outras de imprimir mudanças que alterassem o destino do país. Produto da iniciativa e da visão de progresso do líder ou obra do acaso, tais mudanças, mesmo quando interrompidas pelos governos seguintes, provocaram um rearranjo na estrutura política e administrativa do Estado que se refletiu nos rumos da sociedade. Se outros momentos foram importantes, pode-se dizer que o período em que D. João VI reinou no Rio de Janeiro foi definitivo para o processo da independência brasileira. Durante o longo reinado de D. Pedro II, o Brasil consolidou sua unidade, desenvolveu a arte, a cultura e os estudos históricos, respeitou a liberdade de imprensa e de opinião, enfrentou a maior guerra que já houve no continente e se impôs diante do mundo como a única nação estável da América do Sul - mas a última a abolir a escravidão.

O presidente Rodrigues Alves (1902-1906) atuou decisivamente para recuperar para o Brasil o prestígio perdido com a queda da monarquia. Seus esforços envolveram a remodelação do Rio de Janeiro, o combate às epidemias, uma política externa hábil e corajosa e a obtenção do primeiro cardinalato para o Brasil. Sabendo cercar-se de homens competentes como o Barão do Rio Branco, o epidemiologista Oswaldo Cruz e o prefeito Pereira Passos, seu governo representou, de fato, a entrada do Brasil no século XX.

Na superação do que foi o liberalismo da República, o primeiro governo Vargas (1930-1945), caracterizado pelo autoritarismo, representou, no entanto, o momento da industrialização e da adoção dos direitos dos trabalhadores. O nacionalismo da fase autoritária se expressaria na luta pela independência brasileira frente ao progressivo poder dos Estados Unidos, que marcou o segundo governo Vargas (1951-1954).



Mulheres e conflitos armados

A atuação de mulheres em diversas forças armadas ao redor do mundo, bem como o papel delas em importantes focos de resistência – como as guerrilheiras peshmerga frente aos avanços do Estado Islâmico –, vem chamando cada vez mais a atenção.

O objetivo desse curso é apresentar um panorama de diversos conflitos armados, tendo como recorte a questão de gênero, a fim de evidenciar aqueles em que a presença feminina se mostrou fundamental. Contaremos com a ajuda das teorias da filósofa norte-americana Judith Butler e das ideias das escritoras Svetlana Aleksiévitch, bielorussa, e Susan Sontag, norte-americana, para refletir sobre os estudos de caso.



Guerra Civil Espanhola: a história não contada

A Guerra Civil transformou a Espanha em um campo de batalha entre 1936 e 1939, deixando um saldo de aproximadamente 400 mil mortos. Em outubro de 1938, o periódico Paris-soir enviou ao país o fotógrafo Jean Moral e o repórter Joseph Kessel para a cobertura do fim da República Espanhola, registrando a coragem dos soldados e a miséria e angústia do povo nos primeiros momentos da terrível ditadura do general Franco, que duraria décadas.

A CASA DO SABER RIO, em parceria com o canal PHILOS TV, realiza a exibição do filme Guerra Civil Espanhola: a história não contada (França, 2016), dirigido por Patrick Jeudy, seguida de um bate-papo com o historiador Vagner Camilo.

Apoio acadêmico:



EDUX
O que ler para crianças de 2 a 3 anos? Os pequenos são grandes leitores. Como potencializar isso?  

O EDUX é o ponto de encontro de todos aqueles que lidam com a infância. Professores, pais, assistentes sociais, arte-educadores, bibliotecários, escritores, ilustradores, psicólogos, fonoaudiólogos, pesquisadores, entre tantos outros profissionais, terão uma programação especial em nosso espaço, uma parceria da CASINHA DO SABER com o LER Instituto.

Neste encontro: são histórias narradas, livros-brinquedos, pano, pelúcia ou com palavras soltas? O que as crianças que já começaram a falar e articular as ideias verbalmente precisam e querem para ampliar seu imaginário e acervo de expressões?

Parceria:

​              



Liberdade

O conceito de liberdade vem se modificando e se adaptando ao longo dos séculos, influenciado por movimentos que forçaram ora o seu declínio, ora a sua ampliação. Para debater questões relacionadas a essa ideia tão cara a todos nós, a CASA DO SABER RIO reunirá os primos Daniel e Léa Maria Aarão Reis.

Juntos, o historiador e a jornalista realizarão um percurso histórico pelo conceito de liberdade – partindo das cidades-Estado italianas, da revolução política das Províncias Unidas nos Países Baixos e da Revolução Inglesa, e passando pelas revoluções francesa e americana, com suas ambições e limitações, até chegar ao Brasil atual.

Será dado destaque à transformação da ideia de liberdade pela humanidade, com especial atenção às classes populares, que pensaram o conceito de outras maneiras e sob novos ângulos. Também serão levantadas perguntas como: quais os limites da liberdade individual? A liberdade e a igualdade são irmãs ou inimigas? Seria a racionalidade da livre escolha uma ilusão?



A vida que vira arte

A literatura, como qualquer outra forma de expressão artística, sempre é, em alguma medida, confessional. Um autor só atinge o universal quando é subjetivo, quando elabora uma experiência que o tocou, que o marcou. A subjetividade, no entanto, não garante que ele conseguirá sair da própria alma para chegar ao mundo lá fora, pois não há, nem de longe, uma ponte que leve, automaticamente, do umbigo ao universo. Mas sempre que essa ponte é construída, a literatura mostra que pode ser a filosofia que sabe dançar, a metafísica com jogo de cintura, a psicologia com histórias para contar, capaz de oferecer seus olhos para que vejamos melhor dentro de nós mesmos.

A partir de seis autores clássicos e de uma experiência pessoal, esse curso propõe um estudo sobre o que é verdade e o que é invenção na literatura, indicando como a realidade, a fantasia e a interação com outras obras podem virar romance. Além disso, pretende-se observar por que tipo de processos de transformação passam determinados eventos até virarem letra



O labirinto do minotauro: a crise da União Europeia

Nesta década a Europa tem enfrentado crises diversas, como a turbulência econômica em países como Grécia, Espanha, Portugal e Itália; os impactos da tragédia humanitária envolvendo os refugiados do Oriente Médio e da África; atentados terroristas de grande porte na Bélgica e França; a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia.

Quais os impactos dessa instabilidade para o processo de integração na região? Há riscos de retrocesso na rede de proteção social e de crescimento de grupos extremistas? O curso discute tais questões à luz de pensadores contemporâneos das relações internacionais.



A história do mundo em seis copos

Da pré-história à globalização, mais do que matar a sede e alterar nossos sentidos, as bebidas são indicadores dos progressos científicos alcançados pelo homem, definindo suas relações sociais, religiosas, comerciais e políticas. Através das seis principais bebidas produzidas no mundo, faremos uma viagem sensorial pela história da civilização humana conduzida pelo sommelier José Raimundo Padilha. O roteiro é o livro que dá nome ao curso, escrito pelo jornalista inglês Tom Standage, editor de tecnologia da revista The Economist.



Carlos Lacerda, entre a pessoa e o personagem político

Morto há 40 anos, Carlos Lacerda foi uma das figuras mais polêmicas do século passado. À frente do jornal Tribuna da Imprensa, comandou a campanha que culminou no suicídio de Getúlio Vargas, além de ter colaborado para derrubar outros dois presidentes. Amado por uns e odiado por outros, exerceu também diversos cargos públicos até ter seus direitos políticos cassados em 1968. Seu mandato como governador do Estado da Guanabara deixou marcas.

Neste encontro, a CASA DO SABER RIO convida o advogado e sobrinho do político, Gabriel Lacerda, para uma conversa sobre sua atuação política à luz do cenário atual. Gabriel também apresentará o recém-lançado livro Meu Tio Carlos Lacerda, que, com uma narrativa leve e em tom quase confessional, apresenta a dimensão humana deste importante personagem da história brasileira.

O encontro é uma parceria entre a CASA DO SABER RIO e a editora Edições de Janeiro. Ao se inscrever, o aluno ganha de presente o livro de Gabriel Lacerda.

​    



Uma nova velhice

Nos últimos anos, o mundo tem presenciado um aumento crescente do número de idosos. O debate sobre como proteger esse segmento populacional por meio de políticas públicas ou de estratégias propostas pelas novas constituições familiares se tornaram prioridade neste início de século. Seminários e centros de discussão e de pesquisa sobre a longevidade vêm sendo criados em diversos países e uma legislação visando assistir os mais velhos começou a ser formulada no Brasil, de forma atuante.

Em quatro encontros, serão apresentados e discutidos diversos aspectos relacionados ao tema, que apaixona indivíduos de várias gerações e preocupa os governos de todo o mundo



Pré-estreia da série Incertezas Críticas

Incertezas Críticas é uma série documental com intelectuais de renome internacional. O objetivo é apresentar questões contemporâneas relevantes sobre arte, política, literatura, economia, relações internacionais, sociedade e história e permitir ao espectador entrar em contato com o trabalho dos principais pensadores da atualidade. Cada episódio traz um personagem principal, abordando algumas das questões fundamentais que ele tematiza em sua obra. Nesta temporada, os entrevistados são Jacques Rancière, Christian Boltanski, Axel Honneth, Andreas Huyssen, Antoine Compagnon, Elisabeth Roudinesco, Georges Didi-Huberman, Hal Foster, Jean-Luc Nancy, Jonathan Crary, Luc Ferry, Tzvetan Todorov e Umberto Galimberti.

O Canal Curta!, em parceria com a CASA DO SABER RIO, tem o prazer de te convidar para a sessão de pré-estreia da série. Faremos a exibição do episódio inédito com o filósofo e crítico de arte francês Georges Didi-Huberman, professor da École de Hautes Études en Sciences Sociales (Paris), que discorre sobre arte e psicanálise, história da arte e arte contemporânea, reflete sobre a relação entre arte e capitalismo e define o que é ser radical na arte contemporânea. Em seguida, teremos um debate com o historiador, roteirista e professor da Escola de Comunicação da UFRJ Maurício Lissovsky.

A série Incertezas Críticas, dirigida por Daniel Augusto, é uma produção original da Grifa Filmes com o Canal Curta!, financiada pelo Fundo Setorial do Audiovisual.

​  



O incrível diário de Anne Frank

Considerado um dos livros mais influentes do século XX, o diário de Anne Frank é um símbolo da crueldade e da esperança vividas durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945). As memórias, escritas por uma jovem de 16 anos em um esconderijo na Amsterdã ocupada por nazistas, oferecem um testemunho comovente do terror da dominação hitlerista.

A CASA DO SABER RIO, em parceria com o canal PHILOS TV, realiza a exibição do filme O incrível diário de Anne Frank (Inglaterra, 2015), dirigido por Bernard Krikke e Simonka de Jong, seguida de um bate-papo com o historiador Michel Gherman.

Apoio acadêmico:
​  



Novas esquerdas, novas direitas

Há um intenso debate na academia – e fora dela – acerca dos conceitos de “novas esquerdas” e “novas direitas”. As primeiras surgiram a partir dos anos 1960 e desdobram-se até os dias de hoje. São grupos de diferentes matizes que quebraram o monopólio da contestação política de esquerda detido, até então, pelos partidos comunistas e socialistas tradicionais e pelas centrais sindicais em todo o mundo. Com novas formas de organização e expressão política, eles propunham novos conteúdos e novas práticas.

Já as “novas direitas” são normalmente identificadas a grupos que se fortaleceram na esteira da crise econômica de 2008. Heterogêneas, reúnem desde correntes ultraconservadoras até as que defendem o liberalismo econômico e encampam pautas mais progressistas em relação ao comportamento.

Em dois encontros, a proposta é entender essas duas classificações. Afinal, é possível dizer que tais esquerdas e direitas são “novas”? Os próprios conceitos de direita e de esquerda ainda são válidos para explicar a atual configuração política no Brasil e no mundo?



A rua como fonte

Desde os anos 70, as ruas são, para o ator e diretor teatral Amir Haddad, fonte de aprendizado e de saberes. Nas ruas, ele descobriu a linguagem de sua arte e a potência para um teatro vivo, que conta histórias do povo, para o povo, com o povo. É da riqueza e da complexidade da rua que são feitos seus diálogos – em cena e fora dela. E é a soma dessas experiências que torna Amir um dos criadores mais importantes do cenário teatral brasileiro, fundador de um grupo que se tornou referência no país: o Tá na Rua.

A CASA DO SABER RIO convida a todos para que, juntos, possamos ouvir o que pensa e sente esse mestre-timoneiro, sábio-bufão, homem de sorriso largo e sobrancelhas fartas. A pauta será a arte e a vida –de que forma ele enxerga as relações entre elas tendo o teatro como elo e o que pode nos dizer sobre o tempo em que vivemos.

O saber da rua está convidado a ocupar a CASA. E a nos ocupar. Esse é o desejo desse encontro – real, como tudo o que tá na rua.



História da arte: do Alto Renascimento a Michelangelo

Esse curso pretende fará um percurso entre o Alto Renascimento a obra de Leonardo da Vinci, Rafael Sanzio e Michelangelo, para coroar a arte do Renascimento. Muito poderá ser discutido e apresentado em aulas fartamente ilustradas.



A pseudociência e outras questões da filosofia da ciência

A ciência foi um objeto importante de reflexão filosófica de destacados pensadores do século XX. O objetivo do curso é apresentar alguns dos problemas relevantes na área (como o conceito de conhecimento, a demarcação entre ciência e pseudociência, a veracidade das teorias, a questão do progresso científico, entre outros) a partir das obras de três filósofos da ciência: Karl Popper, Thomas Kuhn e Paul Feyerabend.



Trump, 100 dias depois

Surpreendendo analistas do mundo inteiro e marcando para sempre a história política norte-americana, Donald Trump foi eleito presidente dos Estados Unidos no ano passado. Após uma campanha cheia de controvérsias, o bilionário republicano, que concorreu pela primeira vez na vida a um cargo público, ocupa agora o Salão Oval da Casa Branca.

Nesse encontro, a CASA DO SABER RIO convida o jornalista Guga Chacra a apresentar um balanço sobre a situação social e política dos Estados Unidos 100 dias após a posse de Trump. Direto de Nova York, por videoconferência, Chacra traz um panorama do momento e as direções que as políticas de Estado de Trump tomaram nesse início de mandato, bem como suas consequências para o mundo.

*Este encontro será realizado por videoconferência com mediação do professor Michel Gherman.  



Israel, Palestina e Brasil

O conflito entre Israel e Palestina ainda produz numerosas narrativas, construídas sob as mais diferentes perspectivas ideológicas. Muitas acabam por explicar a questão sob um ponto de vista dual, monocromático, incapaz de dar conta da complexidade existente nesse território. No início do ano, o professor de Relações Internacionais Fernando Brancoli e o escritor e humorista Gregório Duvivier estiveram em Israel a convite da Universidade Hebraica de Jerusalém. Além de participarem do seminário “Paz, religião e democracia: Palestina, Israel e Brasil”, acompanharam diversas atividades que propunham uma reflexão mais aprofundada sobre o conflito.

Nesse encontro, a CASA DO SABER RIO convida Brancoli e Duvivier para falar sobre as impressões que tiveram durante a viagem. O que há de próximo entre o conflito Israel e Palestina e os conflitos sociais, políticos e midiáticos que acontecem aqui no Brasil? Qual o impacto dessa experiência para se pensar em convivência, coexistência e tolerância? A mediação ficará por conta do historiador Michel Gherman, um dos organizadores da viagem.



Black Lives Matter - o Movimento Negro hoje

A posse de Barrack Obama, primeiro presidente negro eleito nos Estados Unidos, em 2009, renovou entre as comunidades negras a esperança de uma sociedade igualitária. Diversos acontecimentos, no entanto, continuaram a retratar uma sociedade racista.

Em 2012, Trayvon Martin, um adolescente negro de 17 anos, voltava para casa vestindo um casaco com capuz em uma noite chuvosa quando foi morto a tiros pelo segurança Zimmerman, que o considerou suspeito. Com base em uma lei que prevê o direito de defesa, inclusive com armas de fogo, a qualquer cidadão que se sinta ameaçado, Zimmerman foi inocentado.

Nesse contexto foi criado o movimento #BlackLivesMatter, (vidas negras importam), que luta contra a brutalidade policial e as condições econômicas, sociais e políticas que oprimem os negros nos EUA.

A CASA DO SABER RIO, em parceria com o canal PHILOS TV, realiza a exibição do filme #Black Lives Matter, produzido por Matt Davis, seguida de um bate-papo com a historiadora Ynaê Lopes.

Apoio acadêmico:
​