Busca

     

Resultado



ÉTICA E DIVERSIDADE NO MARKETING


Como as marcas podem criar conteúdo que respeite a inteligência da audiência e ao mesmo tempo agregue valor e transforme a cultura? Em um cenário em que muitos já aprenderam o valor da diversidade, o marketing também precisa incorporar esse princípio ao seu dia dia, sob pena de se tornar irrelevante. Nesse encontro, a diretora da Abril Branded Content, Patrícia Weiss, apresenta as narrativas de empresas que vêm obtendo sucesso com o branded content com propósito e relevância.

 

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.  



REPUTAÇÃO: QUANTO VALE A SUA?


O número de escândalos envolvendo empresas é cada vez maior. Intencional ou não, a gestão inadequada de uma marca gera prejuízos enormes. Em tempos de grande interatividade e participação nas redes sociais, torna-se extremamente desafiador construir e gerir de forma pró-ativa a reputação – algo que exige transparência, confiança, credibilidade e coerência.

Nesse encontro, a especialista em marketing Inez Murad irá abordar os pontos fundamentais na construção de uma boa reputação, o impacto dos escândalos na performance dos negócios e o propósito de marca na era do chamado marketing 4.0.

 

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.  



FEIRA MODERNA 9: O FUTURO E VOCÊ


Realidade virtual, dispositivos vestíveis, impressão 3D, inteligência artificial, robótica, neuromarketing, internet das coisas. À medida que tecnologias como essas vão surgindo, há mudanças – algumas velozes e profundas – em diversos setores da sociedade. Nesse encontro, os jornalistas Beto Largman e Roberto Cassano analisam algumas das tendências tecnológicas mais promissoras para, junto com o público, criar um mapa colaborativo que indique quais delas têm poder para impactar nossa vida no âmbito pessoal e profissional no curto, médio e longo prazos. Que novidades serão mais disruptivas? Como as atividades profissionais serão impactadas? O que deve mudar no seu cotidiano?



MODA, BLOGS, INOVAÇÃO E SUCESSO


Alice Ferraz percorreu um longo caminho desde seu primeiro emprego na Forum, nos anos 90, até se tornar uma das 500 pessoas mais influentes do mercado mundial da moda em 2013 e 2014, segundo o site britânico The Business of Fashion. E, nessa trajetória, ela não parou de ter ideias. A primeira veio após sua passagem pelo marketing das redes Mappin e Mesbla: criar uma assessoria de imprensa voltada para a construção de marcas. Depois de acompanhar uma Semana de Moda de Nova York, ela teve uma segunda grande ideia: desenvolver uma plataforma de blogs de moda. Nascia aí a F*Hits, que hoje inclui quase três dezenas de blogs com 40 milhões de page views, 10 milhões de seguidores no Instagram e 10 milhões de visitantes únicos todo mês. E as ideias de Alice não pararam de surgir. A última delas causou frisson: a formação de um curso de dois anos na Faculdade Belas Artes, em São Paulo, para capacitar blogueiras e ensiná-las a trabalhar com mídias sociais. A CASA DO SABER RIO O GLOBO recebe essa empresária paulista para um bate-papo descontraído sobre moda, blogs e inovação.



O MARKETING DA CULTURA PARA UM MUSEU VOLTADO PARA O HOMEM


Em uma sociedade sempre mais globalizada, rápida, voraz e em constante mudança, os museus também se modificam, adaptando-se às exigências dos novos públicos. A necessidade de corresponder às novas expectativas, a consciência de que a cultura ocupa cada vez mais o tempo livre das pessoas, bem como as exigências econômicas que levam ao caminho do autofinanciamento, fazem com que se repense a empresa-museu como lugar de entretenimento, diversão e socialização, aplicando projetos de marketing emocional, territorial e experimental. O estudo dos diferentes públicos, notadamente do seu envolvimento emocional, apresenta-se como primeira etapa deste processo. Esse é o tema da aula aberta do curador e crítico de arte italiano Maurizio Vanni que conta com o apoio do Consulado Italiano, que fará a tradução.



AS FUNÇÕES DO AUTOR NA ERA DIGITAL


A tão propalada morte do autor, na era digital, ganhou outro sentido. À função-autor como criador original, voltado para a construção de uma obra literária a ser impressa e divulgada por uma editora tradicional, vendida numa livraria física e comentada por críticos na imprensa, começam a ser acrescentadas novas funções. Ao mesmo tempo em que o escritor vem ganhando ferramentas, que permitem, entre outras coisas, que enriqueça seu texto com conteúdo multimídia e monitore sua audiência página a página, ele passou também a acumular uma série de novas tarefas, como alimentar suas fan pages e blogs. O novo autor tem autonomia para se encarregar ele mesmo de etapas como edição, distribuição e marketing, graças a plataformas cada vez mais simples de autopublicação, que trazem novas perspectivas a escritores que estiveram à margem do mercado editorial. Hoje, já não são poucos os casos que nascem em edições próprias e migram para as listas de mais vendidos. Mesmo os escritores que optam por uma grande editora são chamados a investir seu capital social nas mídias sociais, dialogar com seus leitores e, eventualmente, são até desafiados a explorar por conta própria todas as possibilidades (e ganhos) do livro eletrônico. Um curso para quem escreve ou gostaria de escrever e quer entender quais as novas ferramentas disponíveis para isso.