A ÉTICA E O CORPO SEM ÓRGÃOS: O PLANO DE IMANÊNCIA DO DESEJO


Auterives Maciel Jr

De 21 de fevereiro a 28 de março - Quartas-feiras - das 17h às 19h - 6 encontros

Como criar para si um corpo sem órgãos pleno de alegria? Esta é a questão que inaugura uma ética sobre o plano de imanência do desejo. Tendo como referência a filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari – que propõem uma conexão entre a obra do dramaturgo e poeta Antonin Artaud e a ética de Spinoza –, descreveremos uma diversidade de corpos sem órgãos para mostrar os riscos que enfrentam aqueles que avançam, sem prudência, pelos campos inusitados das experiências de desejo. Visamos, com isso, otimizar uma maneira prudente de produzir um corpo sem órgãos, buscando o recurso da nossa avaliação na ética de Spinoza e nos movimentos políticos construídos pelo combate às moralizações do desejo.

INSCRIÇÃO ONLINE
Valor R$ 660,00

INSCREVA-SE AQUI

Conheça as formas de pagamento e a
política de cancelamento

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 21 FEV | O QUE É O CORPO SEM ÓRGÃOS?

    A gênese da noção na filosofia de Deleuze e Guattari. Artaud e o combate ao organismo. O plano de consistência do desejo.


  • 28 FEV | ARTAUD E SPINOZA: O PROBLEMA DA ÉTICA

    O que pode um corpo? Afetos, intensidades e composições de partículas. A leitura de Spinoza feita por Deleuze e Guattari.


  • 07 MAR | EXEMPLOS DE CORPOS SEM ÓRGÃOS EXTRAÍDOS DE RELATOS EXPERIMENTAIS

    O problema econômico do masoquismo. Os três tipos possíveis de corpos sem órgãos e o problema da prudência. Os inimigos do corpo sem órgãos.


  • 14 MAR | OS PERIGOS DA EXPERIMENTAÇÃO E O RECURSO A UMA ÉTICA DA PRUDÊNCIA

    O amor cortês. O Tao oriental e o corpo sem órgãos na literatura. A histeria na obra de arte: o corpo sem órgãos na pintura de Francis Bacon.


  • 21 MAR | CORPO SEM ÓRGÃOS E TEORIA QUEER

    As máquinas de desejo e a tecnologia de dominação. As profanações eróticas dos sexos artificiais. As teorias performativas de profanação.


  • 28 MAR | UM CORPO SEM ÓRGÃOS PLENO DE ALEGRIA É POSSÍVEL?

    A diferença expressiva de Spinoza no terceiro gênero do conhecimento. A alegria maior da experiência plena de um corpo sem órgãos: a síntese de Deleuze e Guattari.


ministrado por


  • Auterives Maciel Jr

    Mestre em Filosofia pela Uerj e doutor em Teoria Psicanalítica pela UFRJ. Leciona no Departamento de Psicologia da PUC-Rio e no programa interdisciplinar Psicanálise, Saúde e Sociedade da Universidade Veiga de Almeida. É autor dos livros Os pré-socráticos: a invenção da razãoPolifonias: clínica, política e criaçãoO Todo-Aberto: duração e subjetividade em Henri Bergson.

INSCREVA-SE AQUI