COMO A ECONOMIA PODE INFLUENCIAR A ELEIÇÃO

E O QUE VOCÊ TEM A VER COM ISSO


Antônio Carlos Porto Gonçalves, Armando Castelar, João Sicsú, Luiz Carlos Delorme Prado, Luiz Roberto Azevedo Cunha, Ricardo Bielschowsky, Roberto Fendt, Sérgio Besserman, Tito Ryff

De 20 de março a 10 de abril - Quintas-feiras - das 20h às 22h - 4 encontros

Reprodução

O debate econômico nas eleições de 2014 para presidente da República será marcado pela comparação do desempenho dos governos FHC e Lula/Dilma ou focará sua atenção nas questões atuais que influenciarão os destinos do país nos próximos anos? A política econômica do atual governo deve, ou não, ser modificada? A indignação nas manifestações de rua é apenas reflexo de uma insatisfação com a classe política ou resulta, também, da incapacidade do Estado brasileiro de atender às expectativas de progresso da população? A sociedade brasileira deve trocar o ideal de expansão do consumo pela busca da qualidade de vida? Venha especular e refletir sobre esses temas com economistas renomados que acompanham a trajetória da economia brasileira há longo tempo e possuem opiniões divergentes sobre o presente e o futuro do setor.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 20 MAR | QUAL O ESTADO DA ECONOMIA BRASILEIRA NESTE COMEÇO DE 2014?
    Variáveis econômicas importantes como Inflação, Emprego, Crescimento, Câmbio e Contas Externas terão influência na decisão dos eleitores? ARMANDO CASTELAR E LUIZ CARLOS DELORME PRADO


  • 27 MAR | A ESTABILIDADE MACROECONÔMICA CORRE RISCO?
    Os Fundamentos Econômicos estão sendo preservados (Superávit Primário, Metas de Inflação, Câmbio Flexível)? Que mudanças na Política Econômica serão feitas por cada candidato, caso seja eleito? ANTÔNIO CARLOS PORTO GONÇALVES E LUIZ ROBERTO AZEVEDO CUNHA


  • 03 ABR | HÁ UMA NOVA POLÍTICA MONETÁRIA NO BANCO CENTRAL? 
    O Banco Central perdeu autonomia e acha-se mais suscetível a influências políticas ou está apenas se ajustando a um Novo Padrão Internacional de Política Monetária? JOÃO SICSÚ e ROBERTO FENDT


  • 10 ABR | DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO: MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA X AUMENTO DO CONSUMO
    Como conciliar o Mercado, a ação do Estado e as aspirações da Sociedade na busca de um Crescimento Econômico mais Harmônico e Sustentável? SÉRGIO BESSERMAN e RICARDO BIELSCHOWSKY


ministrado por


  • Antônio Carlos Porto Gonçalves

    Doutor e mestre em Economia pela Universidade de Chicago, Estados Unidos, e bacharel em Engenharia Industrial e Metalúrgica pelo Instituto Militar de Engenharia (IME). Professor titular das escolas de Economia e de Direito da FGV-Rio e da UFF. Diretor de Estudos de Novos Negócios da FGV.

  • Armando Castelar

    Formado em Engenharia Eletrônica pelo ITA e mestre em Estatística pelo IMPA, e em Administração de Empresas pela COPPEAD, com PhD em Economia pela Universidade da Califórnia. Coordenador de Economia Aplicada do Ibre/FGV e professor do Instituto de Economia da UFRJ. Chefiou o Departamento Econômico do BNDES. Foi professor na pós-graduação da PUC-Rio e da Fundação Getúlio Vargas (EPGE). É membro do Conselho Superior de Economia da Fiesp e articulista dos jornais Valor Econômico e Correio Brasiliense. É autor, entre outros, de Sociedade e economia: estratégias de crescimento e desenvolvimento, co-organizado com João Sicsú.

  • João Sicsú

    Formado em Ciências Econômicas pela UFRJ, onde fez o doutorado. Professor do Instituto de Economia da UFRJ, foi diretor de Políticas e Estudos Macroeconômicos do IPEA entre 2007 e 2011.

  • Luiz Carlos Delorme Prado

    Graduado em Economia e Direito. PhD em Economia pela Universidade de Londres. Professor do Instituto de Economia da UFRJ. Foi conselheiro do Cade e diretor-presidente do Centro Internacional Celso Furtado de Políticas para o Desenvolvimento.

  • Luiz Roberto Azevedo Cunha

    Economista. Mestre pela Vanderbilt University, nos Estados Unidos. Professor do Departamento de Economia da PUC-Rio. Decano do Centro de Ciências Sociais da PUC-Rio.

  • Ricardo Bielschowsky

    Economista da Comissão Econômica para América Latina (Cepal), professor na UFRJ. Mestre em Economia pela Universidade de Brasília (UnB) e doutor em Economia pela Universidade de Leicester, Inglaterra. Autor de diversos artigos e livros, entre estes Pensamento econômico brasileiro – O ciclo ideológico do desenvolvimentismo; Políticas para a retomada do crescimento – Reflexões de economistas brasileiros (organização); Reformas e inversión en América Latina e Cinquenta anos de pensamento na Cepal.

  • Roberto Fendt

    Secretário executivo do Conselho Empresarial Brasil-China. Graduado em Economia pela UFRJ, com mestrado na USP e mestrado e doutorado pela Universidade de Chicago (EUA). Dirigiu a Fundação Centro de Estudos de Comércio Exterior (Funcex) e o Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri) e foi vice-diretor do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da FGV. É autor de vários livros e artigos publicados no Brasil e no exterior.

  • Sérgio Besserman

    Professor de Economia Brasileira na PUC-Rio. Foi presidente do IBGE, onde lançou, entre outras publicações, Indicadores de desenvolvimento sustentável e Glossário do meio ambiente. Foi diretor de Planejamento de Meio Ambiente do BNDES e participou, como membro da missão diplomática brasileira, das Conferências das Partes da Convenção Mundial do Clima. Preside a Câmara Técnica de Desenvolvimento Sustentável e de Governança Metropolitana da cidade do Rio.

  • Tito Ryff

    Graduado e mestre em Economia pela Faculté de Droit et Sciences Economiques de l’Université de Paris, França, e especializado em Economia Agrícola pelo Institute of Agricultural Economics, da Universidade de Oxford, Inglaterra. Lecionou em várias instituições de ensino e pesquisa, como FGV, PUC-Rio, UFF, Universidade Candido Mendes e Centro Universitário da Cidade do Rio de Janeiro (UniverCidade). Exerceu importantes funções na administração pública federal, estadual e municipal.