CONTOS DE FADAS MODERNOS: O ROMANCE DE LYGIA FAGUNDES TELLES


Eliana Bueno-Ribeiro

08 e 15 de agosto - Quartas-feiras - das 17h às 19h - 2 encontros

Beatriz Milhazes
CONCLUÍDO

Qual a maior semelhança entre as personagens Cinderela, Bela Adormecida e Branca de Neve? A mais superficial associação revela que as três são jovens perseguidas por mulheres más (madrastas ou fadas invejosas) e salvas por mulheres boas (fadas benfazejas). De fato, uma das funções do conto maravilhoso, chamado “de fadas”, é a possibilidade de oferecer solução a alguns dos conflitos internos de quem o lê ou ouve. Um desses conflitos, muitas vezes inconfessados ou mesmo inconfessáveis, é o que se instala entre mães e filhas, representadas nesse tipo de narrativa pela jovem maltratada pela madrasta ou perseguida pela fada invejosa (representação da mãe má) e salva pela boa fada (representação da boa mãe).

O delicado e sofisticado romance de Lygia Fagundes Telles, passado na cosmopolita São Paulo dos anos 1950 e 60, pode ser lido nessa chave (um livro se faz sempre de outros livros). Se dois de seus títulos - Ciranda de Pedra e As Meninas – podem ser vistos como “romances de aprendizagem”, nos quais a personagem tem de atravessar a perigosa floresta e vencer várias provas para finalmente encontrar seu destino, dois outros – Verão no Aquário e As Horas Nuas - apontam outra perspectiva: a bondade das fadas talvez oculte outros desígnios, as mães não sejam sempre bondosas, e a força e a liberdade talvez não estejam exatamente onde se imagina que estejam.

*Recomenda-se a leitura prévia das obras.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 08 AGO | O CONTO DE FADAS: UMA ABORDAGEM PSICANALÍTICA

    A problemática mãe-filha; mães-espelho e mães-rivais; Lygia Fagundes Telles e uma sociedade de moças criadas para reinar (a rainha do lar, a rainha do baile, a rainha da primavera…); Ciranda de pedra e a apresentação da primeira princesa; As meninas, princesas de um tempo sem sol.


  • 15 AGO | AS FA(I)LHAS DA MÃE

    Verão no aquário e a escola da princesa; As horas nuas e quando a rainha envelhece?


ministrado por


  • Eliana Bueno-Ribeiro

    Doutora em Ciência da Literatura pela UFRJ, com pósdoutorado em Literatura Comparada pela Universidade de Paris 3 – La Sorbonne Nouvelle (França). Professora aposentada da UFRJ (Letras), foi professora convidada nas universidades de Roma La Sapienza, Rennes 2 e Toulouse Le Mirail. Publicou recentemente Contos de Perrault, no qual assina a tradução, o prefácio e as notas. É pesquisadora associada do Centro de Estudos Afrânio Coutinho (Faculdade de Letras/UFRJ) e editora da revista eletrônica Passages de Paris, da Associação de Pesquisadores e Estudantes Brasileiros na França (APEBFR).