DA TRAGÉDIA ANTIGA AO DRAMA MODERNO


Marcela Oliveira

De 05 a 19 de março - Segundas-feiras - das 19h30 às 21h30 - 3 encontros

Desde a sua origem, na antiguidade grega, a forma dramática revela a tragédia humana. Nas peças de Ésquilo e Sófocles, com heróis exemplares como Orestes e Édipo, vemos o ser humano exercitar a liberdade de agir até mesmo diante de um destino inexorável. Nos primórdios da modernidade, as peças de Shakespeare nos mostram o peso da reflexão subjetiva, que gera, por exemplo, a melancolia de seu famoso Hamlet. Na virada do século XIX para o XX, a capacidade tanto de agir livremente quanto de refletir e dialogar eficazmente é suspensa, em especial a partir de Tchekhov. No ápice dessa “crise do drama”, Beckett nos apresenta a suspensão da ação e do diálogo numa potente cena teatral.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 05 MAR | TRAGÉDIA GREGA: AÇÃO E LIBERDADE EM ÉDIPO, DE SÓFOCLES, E ORESTES, DE ÉSQUILO


  • 12 MAR | DRAMA MODERNO: REFLEXÃO E MELANCOLIA EM HAMLET, DE SHAKESPEARE


  • 19 MAR | CRISE DO DRAMA: SUSPENSÃO DA AÇÃO E DO DIÁLOGO DE TCHEKHOV A BECKETT


ministrado por


  • Marcela Oliveira

    Professora do Departamento de Filosofia da PUC-Rio, onde se formou doutora e mestre, atuando na graduação e na pós-graduação com especialização em Arte e Filosofia. Formada em Jornalismo pela UFRJ, desenvolve estudos em Filosofia Contemporânea, Estética e Teoria do Teatro.