DEZ PERSONAGENS FEMININAS DE SHAKESPEARE POR ELAS MESMAS


Fernanda Teixeira De Medeiros

31 de outubro e 07 de novembro - Quartas-feiras - das 19h30 às 21h30 - 2 encontros

CONCLUÍDO

A proposta desses dois encontros consiste em visitar dez personagens femininas de Shakespeare por meio de uma seleção de suas falas. Ouvir Julieta, Ofélia, Emília, Cleópatra e Volúmnia, oriundas das tragédias; Rosalinda, Beatriz e Viola, heroínas cômicas; Hermione, personagem do gênero romance; e a Rainha Margaret, do universo das peças históricas. O que dizem e como dizem; como dizem a si e ao outro.

Nesse exercício, vamos ativar nossa escuta poética e histórica, imaginando o que era um teatro sem atrizes no palco, mas com muitas mulheres na plateia; pensando numa Inglaterra que teve por 45 anos (1558-1603) uma mulher no trono, uma grande Rainha, e que amava o teatro.

Da mesma forma como lidou com tantos materiais e assuntos, Shakespeare tomou a "mulher" e o "feminino" como questões, perguntas, temas a serem debatidos, sem respostas conclusivas. A "variedade é infinita", como ele mesmo diria. Vamos contemplar alguns de seus matizes.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 31 OUT | PERSONAGENS DE TRAGÉDIAS (JULIETA, OFÉLIA, EMÍLIA, CLEÓPATRA, VOLÚMNIA) com Fernanda Teixeira de Medeiros

    Em sendo universos eminentemente masculinos, dominados pelos jogos de poder e pela política, as tragédias não deixariam muito espaço para as personagens femininas. Verdade? Não necessariamente. Vamos escutar essas mulheres e pensar sobre essa questão.


  • 07 NOV | PERSONAGENS DE COMÉDIAS, PEÇAS HISTÓRICAS E ROMANCES (ROSALINDA, BEATRIZ, VIOLA, MARGARET, HERMIONE) com Fernanda Teixeira de Medeiros

    As comédias são o espaço privilegiado das mulheres, as principais responsáveis pela perpetuação da vida e da comunidade; nas peças históricas, elas comparecem em menor número; e nos romances, que são as tragicomédias, de novo encontramos a pujança de suas palavras e ações. Conforme proposto, vamos discutir tudo isso, e modular nossa escuta, não para acatar generalizações, mas para produzir perguntas acerca delas.


ministrado por


  • Fernanda Teixeira De Medeiros

    Professora do Instituto de Letras da Uerj e membro do Centro de Estudos Shakespearianos.