FILOSOFIA DA SUPERFÍCIE


Auterives Maciel Jr

De 12 de setembro a 17 de outubro - Quartas-feiras - das 17h às 19h - 6 encontros

A imagem do filósofo, tanto popular como filosófica, é sempre apresentada de duas maneiras pela tradição ocidental: ora ele é visto como um ser das ascensões, das alturas, que sai da caverna e se purifica na medida em que se eleva; ora como ser profundo, que abandona a superfície em busca de um princípio, de uma substância primordial.

O pensamento de Platão se encarregou de difundir as ascensões, enquanto os pré-socráticos inauguraram o pensamento profundo. Há, no entanto, na Grécia, um terceiro tipo de Filosofia: aquela que recusa, a um só tempo, a transcendência das ideias e os elementos profundos da natureza para afirmar a superfície metafísica dos eventos. Uma Filosofia da superfície que entende a vida como processo, que compreende o real como acontecimento, devir, e que afirma a vida na imanência. Esta filosofia foi desenvolvida pelos estóicos, epicuristas, megáricos e cínicos. Neste curso será apresentada essa orientação filosófica.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 12 SET | AS TRÊS IMAGENS DE FILÓSOFOS: ALTURA, PROFUNDIDADE E SUPERFÍCIE


  • 19 SET | PLATÃO E O SIMULACRO: OS SOFISTAS, OS POETAS E OS PINTORES


  • 26 SET | AS ZOMBARIAS CÍNICAS E A REVERSÃO DO PLATONISMO


  • 03 OUT | OS ESTÓICOS E A SUPERFÍCIE METAFÍSICA


  • 10 OUT | ÉTICA DO CONHECIMENTO


  • 17 OUT | EPICURO, LUCRÉCIO E O ACASO AFIRMADO


ministrado por


  • Auterives Maciel Jr

    Professor do Departamento de Psicologia da PUC-Rio e do programa interdisciplinar Psicanálise, Saúde e Sociedade da Universidade Veiga de Almeida. Mestre em Filosofia pela Uerj e doutor em Teoria Psicanalítica pela UFRJ. É autor dos livros Os pré-socráticos: a invenção da razãoPolifonias: clínica, política e criação e O Todo-Aberto: duração e subjetividade em Henri Bergson.