GUERRA DOS SEIS DIAS, 50 ANOS DEPOIS

REPRESENTAÇÕES ARTÍSTICAS DO CONFLITO


Fernando Brancoli, Michel Gherman

De 19 de julho a 09 de agosto - Quartas-feiras - das 19h30 às 21h30 - 4 encontros

O curso busca analisar as relações e os conflitos que opuseram árabes e israelenses na Guerra dos Seis Dias (1967), que mudou o Oriente Médio e reconfigurou a chamada Questão Palestina. A proposta é observar o conflito não apenas pelo viés dos campos de batalha ou dos enfrentamentos sangrentos, mas também pela produção cultural dos dois povos. A poesia, a música, a literatura, o cinema e as artes visuais são algumas das “armas” usadas nos dois lados dessa disputa simbólica.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 19 JUL | ANTES DA GUERRA: OS TAMBORES AVISAM O CONFLITO

    Poesia e cinema sobre árabes e judeus.


  • 26 JUL | 1967: ENTRE A GUERRA E A OCUPAÇÃO

    Poetas e escritores avançam nas linhas e na fronteira.


  • 02 AGO | A INTIFADA E SEUS DRAMAS

    Uma conversa entre os poetas Mahmoud Darwish e Yehuda Amichai.


  • 09 AGO | MEMÓRIAS COMPARTILHADAS

    O peso das lembranças e as possibilidades de história, cinema e guerra.


ministrado por


  • Fernando Brancoli

    Professor de Segurança Internacional da UFRJ e Comentarista de Política Internacional da Globo News. Realizou pesquisas no Oriente Médio e no norte da África, principalmente no Iraque e na Líbia.

  • Michel Gherman

    Formado em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mestre em Antropologia e Sociologia pela Hebrew University Of Jerusalem (Israel) e doutor pelo Programa de Pós-Graduação em História Social na UFRJ. Atualmente é bolsista do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD), vinculado ao Programa de Pós- Graduação da UFRJ, e é co-coordenador do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Judaicos (NIEJ) na mesma universidade. Autor de Uma História Luminosa:-Froein Farain: A Sociedade das Damas Israelitas e coautor de Identidades Ambivalentes Desafios aos estudos judaicos no Brasil.