Memória e esquecimento

Aspectos político-culturais, filosóficos, cognitivos e jurídicos


JÔ GONDAR, MARIA CRISTINA FRANCO FERRAZ, SÉRGIO BRANCO, TANIA GUERREIRO

De 06 a 27 de setembro - Quartas-feiras - das 19h30 às 21h30 - 4 encontros

Desde os anos 90 a memória passou a ser vista como um fenômeno cultural e político fundamental no Ocidente, a ponto de hoje se poder reconhecer uma verdadeira “cultura da memória”. Nesse ciclo foram reunidos especialistas de diferentes áreas do conhecimento para apresentar e analisar aspectos variados referentes à memória e ao esquecimento, como o boom memorialístico iniciado no final do século XX, as questões cognitivas ligadas à memória e o esquecimento à luz da filosofia e do direito.

INSCRIÇÃO ONLINE
Valor R$ 480,00

INSCREVA-SE AQUI

Conheça as formas de pagamento e a
política de cancelamento

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 06 SET | 1. MEMÓRIA COMO FENÔMENO CULTURAL E POLÍTICO, com Jô Gondar
    A partir de questões ilustradas na literatura de Jorge Luis Borges, em testemunhos de Primo Levi e de autores que pensam criticamente a memória social, como Pierre Nora, Walter Benjamin e Michel Foucault, esse encontro analisará o boom das práticas memorialísticas observado tanto nas políticas de Estado quanto nas artes – e até no entretenimento. Se esse movimento conduz a uma comercialização da nostalgia, ele também permite a denúncia das feridas sofridas na memória – os traumas sociais e históricos – no exercício das práticas de poder. De que modo articular essas duas dimensões da cultura da memória com as práticas de esquecimento? Quem decide o que deve ser lembrado ou esquecido? Qual a importância do esquecimento para a construção da memória individual, da memória coletiva e da memória social?


  • 13 SET | 2. MEMÓRIA E COGNIÇÃO: CAMINHOS PARA UM MELHOR DESEMPENHO, com Tania Guerreiro
    Nesse encontro serão analisadas questões referentes à memória e à cognição, como suas relações com as emoções, o estresse, a percepção de controle e da autoeficácia. Também será abordado o esquecimento – o que ele quer nos lembrar? – e proposta a construção de uma agenda amiga da memória.


  • 20 SET | 3. DIREITO AO ESQUECIMENTO, com Sérgio Branco
    A construção da memória on-line como o arquivo da própria vida será um dos temas desenvolvidos nesse encontro, além do debate em torno do direito ao esquecimento e seus respectivos aspectos sociais, jurídicos e tecnológicos, com a apresentação de exemplos de casos julgados no Brasil.


  • 27 SET | 4. MEMÓRIA E ESQUECIMENTO: DUAS PERSPECTIVAS FILOSÓFICAS, com Maria Cristina Franco Ferraz
    Esse encontro privilegia duas visadas filosóficas sobre a memória e o esquecimento, as quais, produzidas no final do século XIX, influenciaram o pensamento contemporâneo: a de Henri Bergson e a de Friedrich Nietzsche. Bergson elaborou um conceito de memória afastado da ideia de hábito. Para ele, tudo o que vivemos nos acompanha ao longo da vida; não se “deletam” lembranças. Nietzsche foi o primeiro a valorizar o esquecimento como a atividade espiritual mais importante do homem, relacionando-a ao processo de digestão. Propôs t ambém uma nova noção de memória: a memória de futuro.


ministrado por


  • JÔ GONDAR

    Psicanalista, doutora em Psicologia Clínica, professora titular da UNIRIO, atuando no Programa de Pós-Graduação em Memória Social da Uni-Rio. Autora de Os tempos de Freud e Com Ferenczi. Clínica, Subjetivação, Política. Organizadora de Memória e espaço, Trilhas do contemporâneoO que é memória social? e Por que memória social?

  • MARIA CRISTINA FRANCO FERRAZ

    Professora Titular da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (ECO/UFRJ). Graduada em Letras (Potuguês/Literatura) e em Didática Especial de Língua Inglesa pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), mestre em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), mestre e doutora em Filosofia pela Universite de Paris I (Pantheon-Sorbonne), com pós-doutorados no Instituto Max-Planck de História da Ciência, em Berlim, e no Centro de Pesquisa em Literatura e Cultura de Berlim. É autora, entre outras obras, de Nietzsche, o bufão dos deuses, Platão: as artimanhas do fingimento, Nove variações sobre temas nietzschianos, Homo deletabilis - corpo, percepção, esquecimento: do século XIX ao XXI, L'homme effaçable: mémoire et oubli du XIXème siècle à nos jours

  • SÉRGIO BRANCO

    Bacharel em Direito e mestre e doutor em Direito Civil pela Uerj. Pesquisador convidado do Centre de Recherche en Droit Public da Universidade de Montréal (Canadá). Especialista em Propriedade Intelectual pela PUC-Rio. Pós-graduado em Cinema Documentário pela FGV. Cofundador e diretor do ITS Rio. Professor de Direito Civil e de Propriedade Intelectual da graduação e da pós-graduação da FGV Direito Rio (2006-2013). Procurador-Chefe do Instituto Nacional de Tecnologia da Informação (2006). Coordenador de Desenvolvimento Acadêmico do Programa de Pós-Graduação da FGV Direito Rio (2005). Autor dos livros Direitos autorais na internet e o uso de obras alheias, O domínio público no direito autoral brasileiro: uma obra em domínio público e O que é Creative Commons: novos modelos de direito autoral em um mundo mais criativo.

  • TANIA GUERREIRO

    Médica formada pela Uerj, especialista em Geriatria e Gerontologia pela PUC-RS e pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia. Mestre em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Uerj e doutora em Biociências pelo Instituto de Biologia da mesma universidade. Criadora e diretora da Oficina da Memória.

INSCREVA-SE AQUI