O bem viver e as alternativas ao progresso como o conhecemos


CARLOS ALBERTO NASCIMENTO, LEONARDO BOFF

De 22 a 29 de agosto - Terças-feiras - das 19h30 às 21h30 - 2 encontros

Perseguido por governos à direita e à esquerda do espectro político, o desenvolvimento econômico não apenas foi incapaz de acabar com as desigualdades sociais, como está colocando em risco a sobrevivência dos seres humanos na Terra. Em um mundo com recursos naturais finitos, é impossível imaginar que todos cresçam indefinidamente. Para que os demais países alcancem os padrões de produção e consumo das nações ditas desenvolvidas, apenas um planeta não seria suficiente. Mas qual a alternativa? Para muitos, a resposta está no Bem Viver, filosofia defendida pelo equatoriano Alberto Acosta e que encontra inspiração em práticas indígenas sul-americanas.

Nesse encontro, organizado pela CASA DO SABER RIO em parceria com a Escola Parque, o professor Leonardo Boff debaterá com o gestor de sustentabilidade da escola, Carlos Alberto Nascimento, sobre os princípios do Bem Viver e a superação da noção atual de progresso.      


22 DE AGOSTO > TERÇA, ÀS 19H30, NO AUDITÓRIO DA LIVRARIA DA TRAVESSA DO BARRASHOPPING
29 DE AGOSTO > TERÇA, ÀS 19H30, NA CASA DO SABER RIO

Apoio
​      

Vendas somente por telefone
Tel: (21) 2227-2237

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 22 AGO | 1. O BEM VIVER E AS ALTERNATIVAS AO PROGRESSO COMO O CONHECEMOS
    NA CASA DO SABER RIO


  • 29 AGO | 2. O BEM VIVER E AS ALTERNATIVAS AO PROGRESSO COMO O CONHECEMOS
    NA LIVRARIA DA TRAVESSA DO BARRASHOPPING


ministrado por


  • CARLOS ALBERTO NASCIMENTO

    Licenciado em Física pela Uerj. Professor de Física nas áreas privada, pública e popular. Coordenador de Ações Sociais no Campo da Educação, na Mangueira e na Rocinha. Atualmente é gestor do Ensino Médio e da área de Sustentabilidade da Escola Parque.

  • LEONARDO BOFF

    Doutor em teologia pela Universidade de Munique (Alemanha). Foi professor de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia Filosófica na Uerj. Em 1985 foi condenado a um ano de silêncio obsequioso pelo ex-Santo Ofício, por suas teses no livro Igreja: carisma e poder. Foi um dos iniciadores da teologia da libertação e participou da redação da Carta da Terra junto com Mikhail Gorbachev, Steven Rockfeller e outros.