O cinema por todos os ângulos: os gêneros cinematográficos


ALBERTO FLAKSMAN

De 03 a 31 de outubro - Terças-feiras - das 19h30 às 21h30 - 5 encontros

O que são os gêneros cinematográficos? Como surgiram? Qual sua importância na história do cinema? A partir desses e de outros questionamentos, Alberto Flaksman apresenta a quarta edição do ciclo O Cinema por Todos os Ângulos, que se dedicará ao musical, ao western e aos filmes de Alfred Hitchcock, praticamente um gênero à parte.

INSCRIÇÃO ONLINE
Valor R$ 500,00

INSCREVA-SE AQUI

Conheça as formas de pagamento e a
política de cancelamento

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 03 OUT | 1. O MUSICAL (PARTE 1)
    O musical, o primeiro gênero clássico de Hollywood. Como definir o filme musical? Os subgêneros musicais do período clássico: a revue e o musical integrado. Os principais temas: alta cultura x cultura popular; classe (ou posição) x talento (ou mérito); convenção x espontaneidade ou energia. Os grandes astros do musical clássico: Fred Astaire e Ginger Rogers x Gene Kelly e Debbie Reynolds. Os diretores/coreógrafos: Busby Berkeley, Stanley Donen, Vincent Minelli, Jerome Robbins, George Cukor. Filmes do período clássico: Swing time (Ritmo louco, 1936); Singin’ in the rain (Cantando na chuva, 1952); The band wagon (A roda da fortuna, 1953); West side story (Amor sublime amor, 1961); My fair lady (Minha bela dama, 1964).


  • 10 OUT | 2. O MUSICAL (PARTE 2)
    O musical no período pós-estúdios: os filmes passam a abordar uma temática adulta. O gênio de Bob Fosse. O retorno nostálgico. Filmes do segundo período: Cabaret (1972); All that jazz (O show deve continuar, 1979); Chicago (2002); La la land (La la land: cantando estações, 2016).


  • 17 OUT | 3. O WESTERN (PARTE 1)
    O western, o segundo gênero clássico de Hollywood. Como surgiu a mitologia do faroeste, um dos mitos fundadores da cultura americana. O Oeste real do genocídio dos povos nativos (e extermínio dos búfalos) e a fábula popular e hollywoodiana. As temáticas: civilização x selvageria; cultura x natureza; sociedade organizada x impulsos individuais; o herói salvador x o herói brutal. Grandes nomes do western clássico: George Stevens, John Ford, Howard Hawks. Filmes do período clássico: Shane (Os brutos também amam, 1953); The searchers (Rastros de ódio, 1956); Rio B ravo (Onde começa o inferno, 1959); The man who shot liberty valance (O homem que matou o facínora, 1962).


  • 24 OUT | 4. O WESTERN (PARTE 2)
    O western posterior à era dos estúdios: Sergio Leone e o Oeste visto por um europeu. Robert Altman, George Roy Hill e Clint Eastwood: o western desencantado. O western contemporâneo. Filmes do segundo período: The good, the bad and the ugly (O bom, o mau e o feio, 1966); Once upon a time in the West (Era uma vez no Oeste, 1968); Butch Cassidy and the Sundance Kid (1969); McCabe & Mrs. Miller (Onde os homens são homens, 1971); Unforgiven (Os imperdoáveis, 1992); Hell or high water (A qualquer custo, 2016).


  • 31 OUT | 5. CRIME E SUSPENSE: HITCHCOCK
    Alfred Hitchcok praticamente criou um gênero só dele: o filme de suspense. Começou a dirigir em seu país natal, a Inglaterra, mas foi nos estúdios de Hollywood que realizou os melhores trabalhos. Hitchcock era um diretor altamente técnico, que mantinha absoluto controle sobre a realização dos filmes. Um autor indiscutível que jamais escreveu um roteiro. A temática que ele escolhia para suas obras – assassinatos, voyeurismo, violência contra as mulheres, perseguição, confinamento, medo da autoridade e da desordem – traía uma personalidade estranha, talvez doentia, mantida sob controle. Filmes: Shadow of a doubt (Sombra de uma dúvida, 1943); Strangers on a train (Pacto sinistro, 1951); Rear window (Janela indiscreta, 1954); North by northwest (Intriga internacional, 1959); The birds (Os pássaros, 1963).


ministrado por


  • ALBERTO FLAKSMAN

    Coordenador acadêmico e professor dos cursos de Formação Executiva em Cinema e TV (Film & Television Business) da FGV, com turmas no Rio de Janeiro e em São Paulo. Foi superintendente de Comércio Exterior da Agência Nacional do Cinema (Ancine). Foi diretor e produtor executivo da Videofilmes.

INSCREVA-SE AQUI