O MAL-ESTAR NA ARTE CONTEMPORÂNEA


Guilherme Gutman, Luiz Camillo Osorio, Tania Rivera

De 12 a 26 de fevereiro - Quartas-feiras - das 20h às 22h - 3 encontros

Reprodução

Em O mal-estar na cultura (1930), Freud pensa o conflito entre as necessidades pulsionais de cada indivíduo e as quase inconciliáveis exigências que a civilização lhe impõe. A arte – tanto a sua fruição quanto a criação artística propriamente – é referida no texto freudiano como uma “suave narcose”; como algo que de algum modo interrompe os rigores necessariamente presentes na tarefa de constituição do Eu, ou lhes dá um destino diferente. Alguns dos resultados dessa empreitada, que é o envolvimento com a arte, estão nos museus – ao mesmo tempo depositários da arte produzida, matrizes de novas criações e produtores de efeitos sobre aqueles que são atravessados por sua força e encanto.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 12 FEV | O MAL-ESTAR NA CULTURA
    GUILHERME GUTMAN


  • 19 FEV | O SUJEITO MAL ESTÁ NA ARTE
    TANIA RIVERA


  • 26 FEV | O MAL-ESTAR E O MUSEU
    LUIZ CAMILLO OSORIO


ministrado por


  • Guilherme Gutman

    Médico psiquiatra e psicanalista. Professor de Psicologia da PUC-Rio, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, curador independente e crítico de arte. Mestre e doutor em Saúde Coletiva pelo Instituto de Medicina Social da Uerj. Autor de William James & Henry James: psicologia, filosofia e vida (Subversos).

  • Luiz Camillo Osorio

    Doutor em Filosofia, professor do Departamento de Filosofia da PUC-Rio e curador do MAM-RJ.

  • Tania Rivera

    Psicanalista. Professora do Departamento de Arte e do Programa de Pós-Graduação em Estudos Contemporâneos das Artes da UFF e membro do Corpo Freudiano – Seção Rio de Janeiro. Entre seus livros, destacam-se O avesso do imaginário. Arte contemporânea e psicanálise; e Hélio Oiticica e a arquitetura do sujeito.