O ressentimento: mal e superação


A la Mie (Im Restaurant La Mie) - Henri de Toulouse-Lautrec

Início: 20 MAR 2017 - SEG, 19H30

Enquanto Descartes considerava os afetos irracionais e incompreensíveis, Spinoza dizia que quando um afeto é compreendido, superam-se sua passionalidade e o seu poder de diminuir a potência do sujeito. Ou seja, a compreensão de um afeto passivo seria, por si só, um afeto ativo. Assim, quanto mais nos compreendemos, mais nos transformamos em nosso modo de nos afetar. Freud apontou que os afetos passivos têm uma coerência própria inconsciente que pode ser revelada.

Foi Nietzsche quem localizou no afeto passivo do ressentimento o cerne de todos os demais afetos ruins, deletérios e degradantes; afetos, antes de tudo, pessoais e relacionais e, por conseguinte, coletivos e sociais. E relacionou o ressentimento à culpa. Por sua vez, Winnicott elucidou a gênese da culpa no desenvolvimento emocional do ser humano, dissociando-a da doutrina cristã. Nesse curso busca-se compreender a gênese do ressentimento com a ajuda das ferramentas teóricas e conceituais de Spinoza, Nietzsche e Winnicott.

informações e inscrições


DATA E INÍCIO
20 Março - Segunda-feira, 19H30

HORÁRIO
19h30

DURAÇÃO
6 encontros ( 20/03 , 27/03 , 03/04 , 10/04 , 17/04 , 24/04 )

 

As inscrições podem ser feitas através do telefone
2227-2237 de segunda a sexta das 11 às 20 horas

Vendas somente por telefone
Tel: (21) 2227-2237

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso.

Acesso somente com a senha do curso.

ministrado por


  • ANDRÉ MARTINS

    Filósofo e psicanalista. Doutor em Filosofia pela Universidade de Nice, com pós-doutorado sênior em Filosofia pela Universidade de Provence, ambas na França. Professor associado da UFRJ e membro do Programa de Pós-Graduação em Filosofia (PPGF-IFCS), na mesma instituição. Coordenador do Grupo de Pesquisas Spinoza e Nietzsche: Estudos de Filosofia da Imanência. Autor do livro Pulsão de morte? Por uma clínica psicanalítica da potência e de artigos publicados em diversos países. Organizador de O mais potente dos afetos: Spinoza e Nietzsche, As ilusões do eu: Spinoza e Nietzsche, Spinoza et la psychanalyse.

aulas


  • 20 MAR | 1. UMA DEFINIÇÃO NIETZSCHIANA DO RESSENTIMENTO


  • 27 MAR | 2. O RESSENTIMENTO COMO AFETO PASSIVO: UMA ANÁLISE DE SEU CARÁTER DESTRUTIVO


  • 03 ABR | 3. A GÊNESE DA CULPA SEGUNDO WINNICOTT: CULPA x CONCERNIMENTO


  • 10 ABR | 4. RELAÇÕES ENTRE CULPA, RESSENTIMENTO, HETERONOMIA E CAUSAS EXTERNAS


  • 17 ABR | 5. AS SOLUÇÕES NIETZSCHIANAS PARA A SUPERAÇÃO DO RESSENTIMENTO


  • 24 ABR | 6. SOLUÇÕES PARA A SUPERAÇÃO DO RESSENTIMENTO COM SPINOZA E WINNICOTT