OS IRANIANOS

BATE-PAPO E LANÇAMENTO DO LIVRO


Luiz Antonio Ryff, Pedro Doria, Samy Adghirni

27 de agosto - Quarta-feira - das 20h às 22h

Divulgação

A CASA DO SABER RIO O GLOBO e a Editora Contexto promovem um bate-papo entre os jornalistas Samy Adghirni, autor de Os Iranianos, Pedro Doria, editor-executivo d'O Globo, e Luiz Antonio Ryff, diretor da Casa do Saber Rio O Globo, sobre o Irã, nação muito discutida, porém pouco conhecida no Ocidente. No país que foi a antiga Pérsia, convivem tradição e modernidade, burocracia e mudanças aceleradas, mulheres com hijab e calças jeans. Trata-se de um país que conheceu forte influência ocidental nos tempos do xá Reza Pahlavi e uma revolução islâmica em 1979, liderada pelos aiatolás. No livro, Adghirni, que foi correspondente do jornal Folha de S. Paulo em Teerã de 2011 até julho deste ano, desvenda para o leitor brasileiro um pouco do país: da política à geografia, da gastronomia ao esporte, da cultura à economia. Revela, assim, para além dos preconceitos e da desinformação, quem realmente são os iranianos. Ao se inscrever, o aluno ganha de presente um exemplar de Os Iranianos, de Samy Adghirni

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

ministrado por


  • Luiz Antonio Ryff

    Jornalista formado pela PUC-Rio. Trabalhou na Folha de S. Paulo, no Jornal do Brasil, na Veja, nos portais iG e Terra, entre outros veículos. Colaborou com diversas publicações. Por seu trabalho de repórter recebeu o prêmio Vladimir Herzog, no Brasil, e Lorenzo Natali, atribuído pela União Europeia. Professor licenciado da PUC-Rio (Jornalismo). Foi diretor de conteúdo da Casa do Saber Rio. Atualmente é diretor da FSB Comunicação.

  • Pedro Doria

    Colunista do jornal O Globo. Foi editor-chefe de conteúdos digitais de O Estado de S. Paulo, colunista da Folha de S. Paulo e esteve entre os fundadores dos sites NO. e NoMínimo. É autor de sete livros, entre eles, 1565: enquanto o Brasil nascia e 1789.

  • Samy Adghirni

    Formado em jornalismo pela Universidade Stendhal-Grenoble, na França, passou pelas redações da Agência France Press e do Correio Braziliense. Repórter na Folha de S. Paulo desde 2008, cobriu as revoltas da Primavera Árabe no Egito, Tunísia e Líbia, além de fazer reportagens no Iraque, Afeganistão, Síria, Iêmen, Turquia, Suécia, República Dominicana e Equador. Foi correspondente do jornal em Teerã, no Irã, entre 2011 e 2014.