REVELANDO OS ARQUIVOS FOTOGRÁFICOS DE ROSÂNGELA RENNÓ


Rosângela Rennó

19 de março - Quarta-feira - das 20h às 22h

Reprodução

Rosângela Rennó não costuma tirar muitas fotos. No entanto, ela se transformou em uma das principais referências em artes plásticas quando o assunto é fotografia, suas ressignificações e desdobramentos. Ela prefere manipular imagens e negativos feitos por outras pessoas, muitas vezes anônimas, retrabalhando a memória e, sobretudo, as ausências e faltas na memória. Em uma época em que o apelo da fotografia é onipresente, Rosângela conseguiu construir uma obra original com reconhecimento de crítica no Brasil e no exterior. Seus trabalhos estão em alguns dos principais museus de arte moderna, como o Reina Sofia (Madri), a Tate Modern (Londres), o Arts Institute of Chicago, o Guggenheim (Nova York) e o Stedelijk (Amsterdã). Ela também acaba de ganhar o prêmio de melhor foto-livro do mundo da Paris Photo-Aperture Foundation, na França, com A01 [COD. 19.1.1.43] – A27 [S|COD.23], livro sobre as fotografias de Augusto Malta furtadas do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro. Nesse encontro especial, Rosângela mostrará e comentará seus últimos trabalhos a partir de investigações em arquivos fotográficos e falará de sua dedicação à produção de foto-livros.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

ministrado por


  • Rosângela Rennó

    Artista plástica formada pela Escola Guignard e em Arquitetura pela UFMG. É doutora em Artes pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Participou das bienais de Veneza (1993 e 2003), Berlim (2001), São Paulo (1994 e 2010), Havana (1997) e Istambul (2011). Expôs na Tate Liverpool (2011) e no Palais de Tokio, em Paris, e em outras instituições importantes na Holanda, Estados Unidos, Austrália, Canadá, Uruguai, País de Gales, México e Portugal.