VIAGENS ENTRE MUNDOS - OS 200 ANOS DA MISSÃO FRANCESA


Jacques Leenhardt, Rosana Lanzelotte

24 de maio - Terça-feira - das 20h às 22h

O ano de 1816 marca o início de um período áureo para o Brasil, que passa a integrar o Reino Unido, junto a Portugal e Algarve. A chegada ao Brasil da Missão Artística Francesa, com o objetivo de fundar a Academia de Artes e Ciências, contribui para o projeto civilizatório que transformaria a antiga colônia no mais importante país das Américas. O diretor de estudos da Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales Jacques Leenhardt, responsável pela re-edição moderna da Viagem Pitoresca e Histórica ao Brasil, obra de Jean-Baptiste Debret publicada originalmente na França em 1839, virá ao Brasil especialmente para esta palestra.

O encontro, moderado pela musicista Rosana Lanzelotte, abre a sétima edição do Circuito BNDES Musica Brasilis, concerto que rememora esse fértil momento artístico do país.

        

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

ministrado por


  • Jacques Leenhardt

    Possui graduação em Filosofia - Université de Genève (1965), graduação em Sociologia - Université Paris-Sorbonne (1966) e doutorado em Sociologia - Université de Paris X, Nanterre (1972). Atualmente é diretor de estudos da Ecole des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS). Tem experiência na área de Sociologia, com ênfase em Sociologia da Literatura, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura, história, arte, urbano, leitura, narrativa e América Latina.

  • Rosana Lanzelotte

    Cravista, gravou desde obras raras de Bach e Haydn até as sonatas inéditas do português Avondano e peças brasileiras. Resgatou as obras de Neukomm no CD Neukomm no Brasil, um dos cinco nomeados para o Grammy Latino e vencedor do V Prêmio Bravo. É autora do livro "Sigismund Neukomm, Música Secreta - Minha Viagem ao Brasil" (2009). Doutora em Informática, idealizou a iniciativa que disponibilizou na web toda a obra de Ernesto Nazareth. Criadora do portal Musica Brasilis, recebeu o prêmio Golfinho de Ouro, concedido em 2002 pelo Conselho Estadual de Cultura do Rio, e a comenda Chevalier des Arts et des Lettres, outorgada em 2006 pelo governo francês.