Busca

     

Resultado



BOB DYLAN – HISTÓRIAS E CANÇÕES


Este encontro é uma conversa/show que apresenta um panorama musical, histórico, afetivo, artístico e biográfico de Bob Dylan, um dos principais artistas populares do século XX. Enfatizando os momentos emblemáticos de sua carreira, o compositor e violonista Jomar Schrank e o pesquisador Gabriel Gutierrez debaterão as características da música de Dylan enquanto tocam algumas de suas principais canções. Com isso, arriscam-se a desvendar alguns aspectos da vasta e intrigante obra deste astro da eletricidade e gênio farsante, que conquistou inúmeros prêmios, incluindo Grammy, Globo de Ouro, Pulitzer, Oscar e Nobel.



CLUBE DE LEITURA | DESONRA , DE J.M. COETZEE


Clube de Leitura da CASA DO SABER RIO visa estimular a leitura e a releitura de clássicos da literatura universal e a troca de ideias entre os participantes, de modo a colocar em contato pontos de vista distintos e eventualmente complementares sobre uma mesma obra. Os encontros mensais são coordenados por Beatriz Malcher, que, além de sistematizar o programa de leitura e de auxiliar na articulação dos debates, apresenta nas reuniões uma contextualização histórica, literária e artística do livro e de seu autor, estabelecendo conexões entre os diferentes textos analisados.

Nesse encontro, trabalharemos o livro Desonra, de J. M. Coetzee.

Recomenda-se aos inscritos a leitura prévia das obras que serão trabalhadas nos encontros.



O FADO E SEUS CENSORES: MÚSICA E POLÍTICA NO ESTADO NOVO PORTUGUÊS


Em 1926, o golpe militar do dia 28 de maio encerrou o regime republicano em Portugal e criou instituições com poderes autoritários de controle. Esse episódio interrompeu a evolução social internamente negociada do meio fadista e interferiu diretamente nas formas com as quais o fado produziria e a pensaria sobre si mesmo. As letras de fado, a partir de então, passaram a ser reguladas pelo Estado e necessitavam de uma autorização do governo para serem interpretadas em público. A censura interferiu diretamente na vertente mais dinâmica desta forma de expressão popular: o improviso.

A partir de 1933, a nova Constituição portuguesa é posta em vigor e o Estado Novo é institucionalizado, levando António de Oliveira Salazar (1889-1970) ao comando do país. Foi também em 1933 que o Estado Novo deu os primeiros sinais de controle da produção artística de Portugal, com o projeto de criação de políticas de promoção cultural subordinadas aos fins políticos do regime.

Ao longo destes dois encontros, realizaremos um panorama sobre o Estado Novo português, contextualizando-o historicamente. Serão abordadas a interferência e a influência do regime na produção cultural, intelectual e midiática, bem como os desdobramentos destes impactos em uma das mais importantes manifestações artísticas de Portugal: o fado.



LEONARDO DA VINCI: ARTE E CIÊNCIA, 500 ANOS DEPOIS


Leonardo da Vinci (1452 – 1519) foi uma das figuras mais importantes do Renascimento. Nascido em uma época de progressiva dignidade das artes, Da Vinci levou adiante a tradição da pintura florentina iniciada no século XIV por Giotto di Bondone (1267-1337). Como diversos outros homens de sua época, foi também personagem de corte, arquiteto e engenheiro militar, além de demonstrar forte interesse por anatomia, ótica e outras ciências, exploradas ao longo de quatro décadas de atividades. A partir das obras, o curso mostrará a carreira de Leonardo, apresentando relações entre suas artes e seus estudos sobre ciências naturais.



ARTE ISLÂMICA: A DIVERSIDADE NA UNIDADE


No ano de 622, Maomé se exilou na cidade de Yatrib, conhecida desde então como Medina, a cidade do profeta. De lá, sob a orientação dos califas, deu início à rápida expansão do Islã na Palestina, Síria, Pérsia, Índia, Ásia Menor, Espanha e no Norte da África. De origem nômade, os muçulmanos demoraram certo tempo para se estabelecer definitivamente e assentar as fundações de uma estética própria. Esse processo fez com que absorvessem influências estilísticas dos povos conquistados, incluindo-as ao seu modo de pensar e sentir e misturando-as à sua própria identidade.

Ao longo destes três encontros, apresentaremos um panorama histórico e estético da arte islâmica, que transcende a momentânea e limitada aparência individual da obra. A ideia é compreendê-la em um domínio maior: o da existência eterna.



CINECLUBE | SEXO, MENTIRAS E VIDEOTAPE , DE STEVEN SODERBERGH


O cineclube da CASA DO SABER RIO oferece aos interessados a oportunidade de assistir a filmes clássicos e contemporâneos seguidos por debates conduzidos pelo curador e crítico de cinema Filippo Pitanga.

Em sua quarta edição, encerrando o ciclo com o tema Palma de Ouro, apresentaremos outros dois vencedores da mais alta premiação do Festival de Cannes, abordando em detalhes a linguagem de cada um e as razões para o sucesso de público e crítica.



ARTE NÃO EXISTE: APONTAMENTOS SOBRE MODOS DE DESNATURALIZAÇÃO


Este curso tem o objetivo de abordar modos de desnaturalização da arte. Em um primeiro momento, a partir de obras cujo estatuto artístico é estrategicamente ambivalente, propõe-se pensar a ideia de arte para além de configurações ontológicas, explorando como “a arte” se inscreve em campos de sentidos que estão em constante transformação, atrito e disputa. Em seguida, tomando como estudo de caso algumas obras e conceitos do modernismo no Brasil, propõe-se historicizar (e profanar) seus cânones a partir da fricção com o presente, quando aqueles que outrora foram tratados como “assunto” - como as culturas indígenas - ocupam seus lugares de sujeitos e se vingam contra as violências praticadas pela arte, desnaturalizando-a.



CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO NAS OBRAS DE MOZART, BEETHOVEN E VILLA-LOBOS


O que Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), Ludwig van Beethoven (1770-1827) e Heitor Villa-Lobos (1887-1959) têm em comum? É a partir deste questionamento que a pianista clássica Simone Leitão propõe uma troca cheia de histórias e exemplos musicais executados no piano, ao vivo, na CASA DO SABER RIO. Criatividade e inovação serão alguns dos assuntos da conversa, que também vai explorar a vida e a obra desses três compositores que mudaram o seu tempo. O encontro apresentará paralelos entre a revolução criativa de cada compositor em sua época e as lições que esses processos nos ensinam hoje, em um tempo pautado por desafios de inovação em todas as áreas.



CLUBE DE LEITURA | CORAÇÃO DAS TREVAS , DE JOSEPH CONRAD


Clube de Leitura da CASA DO SABER RIO visa estimular a leitura e a releitura de clássicos da literatura universal e a troca de ideias entre os participantes, de modo a colocar em contato pontos de vista distintos e eventualmente complementares sobre uma mesma obra. Os encontros mensais são coordenados por Beatriz Malcher, que, além de sistematizar o programa de leitura e de auxiliar na articulação dos debates, apresenta nas reuniões uma contextualização histórica, literária e artística do livro e de seu autor, estabelecendo conexões entre os diferentes textos analisados.

Nesse encontro, trabalharemos o livro Coração das Trevas, de Joseph Conrad.

Recomenda-se aos inscritos a leitura prévia das obras que serão trabalhadas nos encontros.