Busca

     

Resultado



DA RESTRIÇÃO À COMPULSÃO: CORPO, COMIDA E CONSUMO EM TEMPOS COMPLEXOS


O alimentar-se tem um profundo significado em nossas vidas, e está entrelaçado ao contexto afetivo, cultural, político e econômico em que estamos. O que comemos, por que comemos e como comemos reflete muito de nossa subjetividade e do mundo em que vivemos. Para a psicanálise, o alimento é um objeto de troca onde se constitui a relação do sujeito com o outro.

Nesses tempos complexos, o consumo de alimentos, serviços e produtos é apenas uma fotografia das muitas faltas e ausências afetivas que sentimos com o isolamento social. A solidão inapreensível sem data de validade que nos atravessa, parece ser amenizada através do consumo daquilo que nos dá prazer. Por outro lado, será que é isso mesmo que queremos? Ou talvez fosse o momento de repensar nossas escolhas?

Nessa aula, a psicanalista Sandra Niskier Flanzer e a nutricionista Bia Rique vão bater um papo sobre os muitos gatilhos que todos lançamos mão para compensar as faltas que sentimos no isolamento e quais recursos podemos tentar construir para que a travessia desse período seja menos angustiante.

>>> Esta palestra faz parte da programação online da CASA DO SABER RIO via Zoom. Os inscritos receberão por e-mail no dia de cada aula o código e a senha de acesso à sala virtual.

 



O LUXO NO PÓS-PANDEMIA: SEGURANÇA, PROPÓSITO E AFETO NO FUTURO DAS MARCAS


O luxo não se restringe aos itens assinados por grandes grifes internacionais. Em sentido mais amplo, ele se refere a produtos e serviços fora do comum, especiais, e sempre esteve presente em alguma medida nas diversas sociedades e classes socioeconômicas. Como conceito, ele não se modificará após a pandemia. Porém, adequar as estratégias ao novo momento pode ser crucial para a sobrevivência das marcas.

Ao longo deste encontro, serão analisadas as principais tendências para o consumo de luxo pós COVID-19, as oportunidades e ameaças trazidas pela crise, caminhos para a comunicação das marcas, além de práticas vencedoras desenvolvidas por marcas de relevo.

>>> Esta palestra faz parte da programação online da CASA DO SABER RIO via Zoom. Os inscritos receberão por e-mail no dia de cada aula o código e a senha de acesso à sala virtual.

 



A CRISE ECOLÓGICA GLOBAL: UM PANORAMA


Vivemos em um período especial da história global. Nos próximos 20 a 30 anos, seremos obrigados a fazer escolhas singulares sobre o futuro que desejaremos ter, os valores a serem ensinados para as próximas gerações, a produção, o consumo, e o planeta que deixaremos para os nossos descendentes.

A escassez de lideranças atentas à questão é preocupante, pois são elas que deveriam possibilitar o enfrentamento às crises ecológica e ambientais no mundo. E as graves consequências sociais já são sentidas, com a ocorrência de tempestades, inundações, estiagens prolongadas e desastres causados por grandes indústrias.

Nesse encontro, o economista Sérgio Besserman regressa à CASA DO SABER RIO para apresentar um panorama da crise ecológica e ambiental que assola o nosso planeta. Esse problema faz emergir significativos movimentos críticos contra aqueles que, em tese, seriam os responsáveis por operar as mudanças necessárias para amenizar os impactos no meio ambiente.



{ciclo FSB}  
O IMPACTO DAS NOVAS MÍDIAS NO COMPORTAMENTO DO CONSUMIDOR


Mobilidade, acesso, conexão, compartilhamento e transparência são pilares que dão sustentabilidade às marcas. O empoderamento do consumidor que hoje pode criar, vender, comprar, se expressar e aprender na palma da sua mão colocam o mundo em constante estado de mudanças sob o impacto das tecnologias. As novas mídias, por sua vez, mudaram a forma de nos comunicarmos, de sentirmos e também de vivermos, e tudo isso exige um novo olhar e novas atitudes. O futuro do trabalho, da comunicação, da educação e do consumo está em constante transformação e é preciso saber identificar este novo mindset para ser flexível, relevante e inovador.

Quais os próximos movimentos da evolução do comportamento de consumo? Como as marcas e empresas podem pensar estratégias para se adequarem às novas realidades? Como atender as necessidades atuais e expectativas para um futuro próximo? Nesse encontro, serão apresentadas ferramentas para identificar o comportamento do consumidor e transformá-lo em informação estratégica tanto para o mundo dos negócios quanto para as relações sociais e profissionais.
 

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.

 

 



FILOSOFANDO COM OS SIMPSONS


No ar há mais de 25 anos, o desenho animado Os Simpsons é famoso por fazer uma leitura bastante crítica da sociedade de consumo, representando caricatamente uma típica família de classe média americana, reproduzida por grande parte do mundo capitalista ocidental.

Com características um tanto peculiares, os membros da família Simpson – Homer, Marge, Bart, Lisa e Maggie – acabam por tocar em um espectro variado de temas caros à filosofia, de Deleuze e Foucault a Hannah Arendt e Bauman. A proposta desse curso é utilizar a cada aula um personagem para apresentar uma teoria filosófica.



DILEMAS ÉTICOS DA ATUALIDADE: MERCADO, CONSUMO, PRIVACIDADE E EXPRESSÃO


O mundo contemporâneo, com transformações aceleradas que afetam da forma como nos relacionamos à maneira como consumimos, nos desafia diariamente com dilemas éticos que, apesar de muitas vezes inéditos, nos remetem a questões filosóficas fundamentais. Nesse curso, abordaremos algumas das indagações com as quais nos confrontamos nas esferas política, econômica, social e existencial, buscando teorias que sirvam de alicerce para uma reflexão mais aprofundada acerca da melhor forma de agir na atualidade.



MÍDIA, MENTE, CORPO E MUTAÇÕES NA CULTURA CONTEMPORÂNEA


Vivemos hoje em um mundo balizado por tecnologias que, muitas vezes, encarceram os indivíduos em seus próprios gadgets. A proposta desse curso é chamar a atenção para a urgência de se investigar os efeitos que o uso de tecnologias midiáticas pode promover na sociedade. Trata-se, assim, de revisitar Marshall McLuhan, particularmente a sua proposição de que a emergência de todo novo conjunto tecnológico implica uma reprogramação sensorial e cognitiva de corpos e mentes, além de transformações socioculturais profundas.

Assim, analisaremos práticas comuns, como o uso de celulares, a participação em redes sociais, o consumo de música e de jornalismo on-line, a adoção de aplicativos nos deslocamentos pelas cidades e os possíveis efeitos desses hábitos no pensamento, na atenção, nas sensorialidades (visualidade, audibilidade e tatilidade), no senso de privacidade, na individualidade. E também em práticas políticas, religiosas, educacionais e até mesmo nas identidades coletivas.



CONSUMO, PUBLICIDADE E IDENTIDADE


O consumo constitui um sistema simbólico capaz de definir e reproduzir um amplo conjunto de valores, crenças e códigos sociais, enquanto as narrativas midiáticas transmitidas por diversos dispositivos sustentam práticas que afetam nossa vida em diferentes planos, do afetivo ao profissional. Neste encontro, abordaremos o consumo como fenômeno central na nossa experiência moderno-contemporânea, com destaque para a relação entre gostos, modas e representações midiáticas; a criação de categorias e vínculos entre bens e pessoas através da publicidade; a elaboração de identidades e grupos sociais a partir de marcas; as compras e a participação política; e a etnografia como método para conhecer os consumidores.

 

*Os encontros do Saber Executivo ocorrem das 13h às 14h30, e os inscritos recebem um lunch box antes de cada aula.



CRIANÇA, COMIDA E CONSUMO


A frequência cada vez maior de doenças crônicas como diabetes e hipertensão arterial entre crianças indica que precisamos compreender o que está acontecendo com a alimentação infantil. Como mudar o cenário? Qual o papel da família, da escola, da indústria e da mídia nesse quesito? Até que ponto os pais podem construir uma alimentação melhor para seus filhos?

Sabemos que o caminho dessa busca passa pela valorização do momento das refeições, pela preferência por alimentos não industrializados, pela oferta variada de produtos e também pelo exemplo. Mas será que isso basta? Como conciliar uma boa alimentação com o ritmo acelerado da vida atual, o bombardeio da publicidade e a resistência de muitas crianças ao novo?

Hoje, a alimentação, assim como a saúde, precisa ser revista de modo amplo para que as novas gerações consigam construir hábitos sem as obsessões que correm o risco de se transformar em transtornos alimentares – cada vez mais comuns em adolescentes. Nesse encontro, a nutricionista Bia Rique convida para um bate-papo sobre como podemos construir uma relação saudável com a comida, sem cair na armadilha dos muitos mitos que cercam a alimentação.