CARNAVAL, SAMBA, FUTEBOL E A FORMAÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA


Luiz Antonio Simas

18 de january - Monday - das 19h às 20h30

CONCLUÍDO

Segundo o historiador Luiz Antônio Simas, o samba, o carnaval e o futebol são partes muito relevantes da personalidade brasileira e forjam a nossa identidade pelo mundo. Quem nunca ouviu os dois estereótipos clássicos do brasileiro de ser grande jogador de futebol e de ter samba no pé? Em entrevista concedida ao portal Terra (22/02/2020), o historiador afirma que é “crucial entender que o Brasil é estruturalmente racista, excludente, então o futebol e o samba foram dois terrenos onde as camadas populares conseguiram construir mecanismos de ascensão social. Não foram feitos nos parlamentos ou nas universidades, mas construídos a partir da música popular e do futebol.”

Nesse encontro especial que abre a programação online ao vivo de 2021 da CASA DO SABER RIO, Simas falará sobre a importância da tríade samba, carnaval e futebol na formação da identidade do brasileiro.

PALESTRA ONLINE AO VIVO + REPLAY
> Esta palestra faz parte da programação online ao vivo e gravada da Casa do Saber Rio via Zoom.
>> Se não puder participar ao vivo na primeira data, o Replay (gravado) acontece no dia 21 DE JANEIRO, ÀS 17H.
>>> Os inscritos receberão por e-mail no dia de cada aula o link, o código e a senha de acesso à sala virtual.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

ministrado por


  • Luiz Antonio Simas

    É historiador, professor e escritor. Foi colunista do jornal O Dia e jurado do Estandarte de Ouro, prêmio carnavalesco do jornal O Globo. Tem diversos livros publicados sobre cultura popular, carnaval, samba e Rio de Janeiro, entre eles Samba de Enredo, História e arte, em coautoria com Alberto Mussa, Portela – tantas páginas belas, e Pedrinhas Miudinhas: ensaios sobre ruas, aldeias e terreiros, reunindo 41 textos sobre culturas populares. Recebeu, pelo Dicionário da História Social do Samba, escrito com Nei Lopes, o Prêmio Jabuti de Livro do Ano de Não Ficção de 2016. Trabalhou como consultor, ao lado de Ruy Castro, Sérgio Cabral, Jairo Severiano e Hermínio Bello de Carvalho, no processo de criação do novo Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro.