COMUNICAÇÃO NÃO VIOLENTA: COMO CONDUZIR SITUAÇÕES DIFÍCEIS?

CURSO REALIZADO ONLINE VIA ZOOM


Diana Bonar

21 e 28 de may - Thursdays - das 19h às 20h30 - 2 encontros

CONCLUÍDO

A Comunicação Não Violenta (CNV) é uma abordagem que facilita a condução de conversas difíceis. Ao buscar o que chamamos de Zona de Possível Acordo (ZOPA), é possível enxergar o que está por trás dos julgamentos, críticas e estereótipos que ouvimos ou fazemos a respeito de outros e outras. A CNV explora o conceito de "necessidades humanas" como elemento de aproximação e empatia nas conversas.

Este procedimento acredita que a maioria dos conflitos entre indivíduos ou grupos surge da falta de comunicação: em vez de dialogar sobre suas necessidades humanas, costuma-se lançar mão de uma linguagem coerciva ou manipuladora, que visa induzir medo, culpa, vergonha, e assim por diante. Modos "violentos" de comunicação, quando usados durante um conflito, desviam a atenção dos participantes, que, por sua vez, acabam não esclarecendo seus sentimentos, suas percepções e seus pedidos, perpetuando o confronto.

Seja em uma organização, uma escola ou um movimento social, a CNV ajuda no desenvolvimento de uma nova abordagem baseada em alcançar as necessidades de todos os atores envolvidos. A ideia é alimentar a vida e o bem-estar, criando um canal claro de expressão capaz de transformar os conflitos em suas raízes.

>>> Este curso faz parte da programação online da CASA DO SABER RIO via Zoom. Os inscritos receberão por e-mail no dia de cada aula o código e a senha de acesso à sala virtual.

 

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 21 MAI | UMA INTRODUÇÃO


  • 28 MAI | COMO USAR OS PRINCÍPIOS DA CNV?


ministrado por


  • Diana Bonar

    Especialista em Transformação de Conflitos e Estudos da Paz pela Chulalongkorn University (Tailândia). É coordenadora da área de Treinamento e Conteúdo da Organização Internacional Luta pela Paz e fundadora da PeaceFlow. Tem Pós-Graduação em Mediação de Conflitos e Gestão de Projetos pela FGV e pela Fundação Dom Cabral. É formada em Relações Internacionais pela PUC-Rio.