O SURREALISMO DE SALVADOR DALÍ: 30 ANOS DEPOIS


Franz Manata

06 e 13 de june - Thursdays - das 19h30 às 21h30 - 2 encontros

CONCLUÍDO

O pintor e desenhista catalão Salvador Dalí (1904-1989), um dos maiores expoentes do movimento surrealista, chama atenção pela complexa combinação de imagens bizarras e oníricas com uma impactante qualidade plástica e sofisticação em sua obra. Desde cedo foi incentivado a praticar a sua arte, tendo estudado em uma academia em Madrid. Na década de 1920, foi para Paris, onde conheceu Pablo Picasso (1881-1973), René Magritte (1898-1967) e Joan Miró (1893-1983), fato que o levou à sua primeira fase no Surrealismo. Um de seus quadros mais emblemáticos, A Persistência da Memória (1931), que mostra relógios derretendo em uma paisagem, é apontado como a porta de entrada para a sua fama. Dentre seus momentos mais excêntricos, destaca-se sua expulsão do movimento surrealista em razão de suas opiniões controversas, o que não o impediu de pintar e expor em galerias e museus pelo mundo.

Nesses dois encontros, 30 anos após a sua morte, celebraremos a vida e a obra desse grande artista que revolucionou e influenciou as artes plásticas.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 06 JUN | DALÍ E O SURREALISMO


  • 13 JUN | DALÍ, VIDA E OBRA


ministrado por


  • Franz Manata

    Artista, curador e professor com mestrado em Linguagens Visuais e formação em Economia, Sociologia e Administração Financeira. Foi coordenador de produção, curador assistente e cocurador do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM-Rio). Trabalha como consultor de arte para instituições públicas, coleções particulares e corporativas, tais como Grupo Santander Brasil, Furnas Sociocultural, MinC e Funarte. Participa há 20 anos de projetos solo e coletivos no Brasil e no exterior, articulando diversas mídias e áreas do conhecimento.