OS MUNDOS DE PRIMO LEVI


Renato Lessa

14 e 21 de march - Thursdays - das 19h30 às 21h30 - 2 encontros

CONCLUÍDO

Em 2019, assinala-se o centenário de nascimento de Primo Levi. Químico de profissão, justificava a escolha da carreira pela convicção de que os fascistas nada podiam fazer contra os elementos químicos e a tabela periódica. Nascido em Turim, em 1919, Primo Levi, durante a Segunda Guerra Mundial, associou-se a um grupo de resistência ligado ao movimento político "Justiça e Liberdade". Foi capturado por tropa italiana, entregue aos alemães e enviado ao campo de extermínio de Auschwitz em fevereiro de 1944.

Sobrevivente da Shoah, Primo Levi retorna a Turim e, poucos anos após, publica sua principal obra – É isto um homem? – em edição discreta e de pequena tiragem. Ao fim dos anos 1950 , o livro viria a ser editado e, a partir daí, até a sua morte, firmando-o como um dos mais importantes pensadores do século passado. Sua obra ultrapassou o registro do testemunho, inscrevendo-se em um programa intelectual que acabou por combinar filosofia moral e política, antropologia, literatura de ficção, ficção científica e inumeráveis textos de intervenção. Como bem diz Domenico Scarpa, em todas essas facetas, a Shoah está presente. O fundo comum de toda a obra é uma investigação a respeito da condição e do sujeito humanos.

Esses dois encontros pretendem apresentar um quadro biográfico-temático da trajetória de Primo Levi e análises específicas de alguns de seus livros; em particular, o primeiro deles – É isto um homem? – e o último – Os afogados e os sobreviventes. O objetivo será o de sugerir a presença em Primo Levi de um pensamento originário, uma forma própria de interpretação da condição humana.

ÁREA DO ALUNO
Faça o download do material do curso

aulas


  • 14 MAR | Aula 1


  • 21 MAR | Aula 2


ministrado por


  • Renato Lessa

    Professor de Filosofia Política da PUC-Rio, investigador associado do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, Portugal, e professor titular aposentado da UFRJ. Foi presidente da Biblioteca Nacional do Brasil, entre 2013 e 2016. Publicou vários ensaios e livros sobre temas variados de filosofia política e moral, entre eles O cético e o rabino: breve filosofia sobre a preguiça, a crença e o tempo.